Arquivo da categoria: Roger Federer

Deu a lógica, deu Djokovic

Leia o post original por Fernando Sampaio

Nas últimas 65 finais de Grand Slam, 62 tiveram a presença de Federer, Nadal ou Djokovic. Desde Roland Garros 2005, apenas três decisões não contaram com a presença dos três tenistas que lideram o tênis mundial nos últimos 17 anos. As exceções foram: Marin Cilic x Kei Nishikori – US Open 2014; Andy Murray x Milos Raonic – Wimbledon 2016 e Dominic Thiem x Alexander Zverev – US Open 2020.

Fonte

Djoko, Rafa e Federer na terceira rodada em Paris

Leia o post original por Fernando Sampaio

Djokovic, Nadal e Federer avançaram a terceira rodada em Roland Garros. Os três estão na parte de cima da chave e apenas um deles poderá chegar a final em Paris. Na terceira rodada, o sérvio enfrentará o lituano Ricardas Berankis, número 93 do mundo. O espanhol terá pela frente um jovem talento, Rafa enfrentará o britânico Cameron Norris, número 45. O suíço jogará contra o alemão Dominik Koepfer…

Fonte

A chave masculina em Roland Garros

Leia o post original por Fernando Sampaio

O sorteio da chave masculina em Roland Garros colocou Djokovic, Federer e Nadal do mesmo lado. Os três estão na parte de cima da tabela. Ou seja, não existe a possibilidade de uma final entre eles em Paris. O atual número 1 do mundo, Djokovic, poderá cruzar com o suíço Roger Federer já nas quartas de final e com o espanhol Rafael Nadal em uma eventual partida de semifinais. Isso claro…

Fonte

US Open 2019 distribuirá U$ 57 milhões

Leia o post original por Fernando Sampaio

O US Open 2019, cuja chave principal terá início nesta segunda-feira, baterá o recorde mundial do tênis ao distribuir mais de US$ 57 milhões aos participantes. Com premiação igual para homens e mulheres, os campeões na chave de simples receberão US$ 3.850.000 cada um, cerca de R$ 15 milhões. Nada mal. Quem perder na primeira rodada leva U$ 58.000,00. Os jogadores que perderem na segunda rodada…

Fonte

US Open 2019 distribuirá U$ 57 milhões

Leia o post original por Fernando Sampaio

O US Open 2019, cuja chave principal terá início nesta segunda-feira, baterá o recorde mundial do tênis ao distribuir mais de US$ 57 milhões aos participantes. Com premiação igual para homens e mulheres, os campeões na chave de simples receberão US$ 3.850.000 cada um, cerca de R$ 15 milhões. Nada mal. Quem perder na primeira rodada leva U$ 58.000,00. Os jogadores que perderem na segunda rodada…

Fonte

Nadal bate Federer na semifinal em Paris

Leia o post original por Fernando Sampaio

Rafael Nadal irá disputar sua 12ª final em Paris e tentará buscar mais um recorde. Nadal e Margaret Court são os únicos tenistas da história a conquistar 11 troféus num mesmo Grand Slam. A australiana obteve sua incrível série no Aberto da Austrália. Se for campeão no domingo, o espanhol será o primeiro a vencer 12 vezes em um dos quatro principais torneios do circuito. Na semifinal disputada hoje…

Fonte

Nadal e Federer nas quartas de final

Leia o post original por Fernando Sampaio

Rafael Nadal e Roger Federer estão nas quartas de final em Roland Garros. Neste domingo, os dois enfrentaram adversários argentinos na quadra central Phillippe Chatrier e venceram por três sets a zero. Federer bateu o argentino Leonardo Mayer por 6/2, 6/3 e 6/3. O suíço chega nas quartas em Paris pela 12ª vez, a primeira desde 2015. O próximo adversário será o compatriota Stan Wawrinka que venceu…

Fonte

Federer, feliz apesar da eliminação

Leia o post original por Fernando Sampaio

Roger Federer foi eliminado neste sábado pelo jovem alemão Alexander Zverev nas semifinais do ATP Finals. O suíço perdeu a chance de aumentar o recorde para sete títulos de Finals e conquistar seu centésimo troféu da ATP, tornando-se o segundo jogador a fazê-lo depois de Jimmy Connors (109). Talvez o fato de Federer, aos 37 anos, ter tido a chance de participar pela décima primeira vez do torneio que reúne os oito melhores da temporada tenha falado ainda mais alto do que a decepção da derrota na Arena O2, em Londres.

“Estou muito orgulhoso de que aos 37 anos ainda ser tão competitivo e tão feliz jogando tênis. Desse ponto de vista, por mais desapontado que eu possa estar em relação a este jogo, se eu der um passo atrás, estou realmente muito feliz com a temporada”, disse Federer. “Tem sido uma época histórica em alguns aspectos. Voltei para o World No. 1. Para mim, esse foi um grande momento na minha vida, para ser honesto, na minha carreira, porque nunca pensei que chegaria lá novamente. ”

Em janeiro de 2017, Federer caiu para o 17º lugar no ranking da ATP, depois de perder seis meses devido a uma lesão no joelho. O suíço nunca teve um ranking tão baixo em mais de 15 anos. Federer lutou de volta e, em fevereiro, depois de vencer o ABN Amro World Tennis Tournament pela terceira vez, retornou ao topo, tornando-se o jogador mais velho a alcançar o primeiro lugar do ranking e bater o recorde do maior período entre como o No. 1 do mundo.

“[Pete] Sampras uma vez disse: ‘Se você ganhar um Slam, é uma boa temporada’. Então [minha temporada] começou ótima. Eu joguei super bem na Austrália novamente. Então, obviamente, mal posso esperar para voltar lá em alguns meses ”, disse Federer, que termina o ano com um recorde de 48-10. “A segunda metade da temporada poderia ter sido melhor, talvez. Eu também tenho grandes esperanças de sempre fazer bem. Então, estou feliz por ter me dado oportunidades novamente naquela segunda metade da temporada. Eu talvez tenha perdido alguns jogos muito próximos que poderiam ter mudado as coisas para mim um pouco. ”

Federer termina o ano em 3º lugar no ranking da ATP e pela 14ª vez termina dentro do Top 3.

“Cinco anos atrás, onde eu estava? Eu provavelmente estava lutando com dor nas costas em décimo terceiro, não tenho certeza se eu iria descobrir essa dor nas costas novamente porque eu tinha isso por quase quatro ou cinco meses da temporada. Isso realmente balançou meu tênis por um tempo ”, admitiu Federer. “Aqui estou tendo uma temporada muito boa fisicamente, também, ganhei outro Slam, voltei para No. 1. Então, sim, você pode ver isso como uma temporada muito, muito positiva. É provavelmente assim que vou olhar para trás também. ”

Europa leva o bi na Laver Cup

Leia o post original por Fernando Sampaio

A Laver Cup foi novamente um sucesso. Na primeira edição, realizada em Praga, deu Europa 15-9. Este ano os europeus levaram o bi em Chicago: 13-8.  No último dia do torneio de exibição o suíço Roger Federer e o alemão Alexander Zverev perderam nas duplas para os norte-americanos John Isner e Jack Sock, Federer venceu Isner por 6-7 (5-7) 7-6 (10-8) 10-7 e Zverev venceu o sul-africano Kevin Anderson por 6-7 (3-7), 7-5 e 10-7.
A equipe europeia foi liderada pela sueco Bjorn Borg que após a vitória declarou: “Foi uma semana inacreditável. Estou muito orgulhoso do meu time – sabíamos que seria muito difícil vencer o Team World”. A competição no próximo ano será em Genebra, de 20 a 22 de setembro.

Nadal abandona e Del Potro volta à final do US Open

Leia o post original por Fernando Sampaio

Nove anos após a conquista do título contra Roger Federer, Juan Martin Del Potro está de volta à final do US Open. O argentino ficou feliz pela vitória nesta sexta-feira mas chateado pelo abandono de Rafael Nadal no final do segundo set: “Não é a melhor maneira de vencer. Eu adoro jogar contra Rafa porque ele é o maior lutador do esporte e não gosto de vê-lo sofrer como ele fez hoje. Mas também estou muito feliz por estar na final novamente.”

Nadal vinha mal fisicamente. O espanhol disputou os dois jogos mais longos do torneio. Na terceira rodada venceu Karen Khachanov em 4 horas e 23 minutos. Neste jogo já havia sentido o joelho. Nas quartas de final levou 4 horas e 49 minutos para eliminar o austríaco Dominic Thiem. Hoje, antes de abandonar a semifinal quando perdia por 6/7 e 2/6, já havia deixado a quadra para tratamento médico. Após a partida, o atual número do mundo declarou: “Foi muito difícil dizer adeus antes do final da partida. Não era mais uma partida de tênis no final. Era um tenista jogando, o outro parado ao lado da quadra.