Arquivo da categoria: Santos

Interesse do Benfica por Lucas Veríssimo esfria

Leia o post original por Perrone

O interesse do Benfica no zagueiro Lucas Veríssimo, do Santos, esfriou. No clube português a chance de a contratação ser feita agora é considerada remota.

As sondagens realizadas por representantes do time de Lisboa não evoluíram. A avaliação é de que o Santos nunca deixou claro por quanto aceita vender o jogador.

Enquanto sondava Lucas Veríssimo, o Benfica se aproximava de Vertonghen. Na semana passada, o zagueiro belga, de 33 anos, foi apresentado. Ele havia ficado sem contrato com o Tottenham.

Mesmo nesse cenário, o estafe de Veríssimo vê como possível a transferência do jogador brasileiro para a equipe portuguesa.

Passar pano para ofensa racista contra Marinho é alimentar próprio racismo

Leia o post original por Perrone

É assustador ver que há muitos comentários nas redes sociais passando pano para o comentarista chef Fábio Benedetti, da Rádio Energia 97FM, que usou fala racista para criticar a expulsão do santista Marinho contra a Ponte Preta.

Houve até quem escrevesse para Benedetti em seu perfil no Twitter: “estou com você, não achei nada demais  nas suas palavras” .

Como assim? Vamos lembrar, o chef afirmou que diria o seguinte para Marinho, que é negro, numa hipotética conversa com o jogador se estivessem no mesmo grupo de whatsapp: “Eu vou falar assim: ‘você é burro, você está na senzala, você vai sair do grupo uma semana para pensar sobre o que você fez.”

Quem não vê nada demais nessa fala e ainda se dá ao trabalho de tornar tal sentimento público é no mínimo um racista saindo do armário.

Há também quem diga que o chef é gente boa, mas fez uma piada infeliz. Ignorar que senzala e piada não cabem na mesma frase é alimentar o racismo estrutural no país.

Afastado pela rádio, Benedetti usou as redes sociais para se desculpar e informar que pediu desculpas diretamente a Marinho. “Mais uma vez, quero pedir desculpas ao Marinho e a todos que se sentiram ofendidos pelo meu comentário infeliz!”, diz o comentarista ao encerrar seu pronunciamento.

O chef demonstra não entender que não se trata de se sentir ofendido. Ele ofendeu até que não sabe sobre o episódio. Para se retratar com todos que atingiu, primeiro teria que escrever suas desculpas em todos os idiomas possíveis. É só ver o movimento global “Blacks Lives Matter” para entender isso.

Benedetti também não compreende que seu comentário não foi infeliz, foi racista. Admitir isso é fundamental se ele quiser mudar. Caso contrário, continuará com seu preconceito guardado no peito, pronto para dar uma escapadinha e agredir muitos através de um.

Isso com o escudo dos ilusionistas que transformam em “mimi” o que não conseguem justificar. Esses querem transformar as desculpas do chef numa borracha capaz de apagar o racismo estrutural.

Para os defensores do autor da fala racista informo que não rola. E não é só isso. Se você minimiza o chicote verbal que estalou na alma de Marinho, cuidado. Provavelmente há um racista dentro de você louco para sair e dar suas chicotadas por aí. Se é que já não saiu.

Novos agentes de Veríssimo conversam com presidente do Santos por venda

Leia o post original por Perrone

Os novos empresários de Lucas Veríssimo, Paulo Pitombeira e Marcelo Petinatti, mantiveram conversas nesta terça (21) com José Carlos Peres, presidente do Santos, para tratar a respeito de clubes interessados em contratar o zagueiro.

Não houve definição, porém, a dupla prometeu intensificar as negociações envolvendo o atleta. Watford, da Inglaterra, Benfica, de Portugal, e Fiorentina e Atalanta, clubes italianos, são os times vistos com possíveis destinos de Veríssimo por seus agentes.

Segundo pessoa próxima ao jogador, os dois empresários assumiram oficialmente nesta terça a carreira do zagueiro, apesar de em março já ter sido noticiada a troca na gestão.

Entre os clientes de Pitombeira estão Fábio Carille, Luan, Gabriel Jesus  e Roger Guedes.

 

Análise: Paulista volta com perdas técnicas, crises financeiras e pandemia

Leia o post original por Perrone

Suspenso desde 16 de março, quando aconteceu seu último jogo, o Campeonato Paulista retorna nesta quarta (22) num cenário de enfraquecimento técnico de seus principais clubes. Também há sinais de agravamento da crise financeira em parte das equipes. Ao mesmo tempo, a pandemia de covid-19, que motivou a suspensão, ainda não está controlada no Estado.

Em tese, a principal perda técnica foi sofrida pelo Palmeiras, que emprestou Dudu para o Al Duhail, do Qatar, com possibilidade de venda futura.

Na opinião deste blogueiro, o elenco do Palmeiras é forte, mas perdeu justamente seu jogador que mais tinha potencial para desequilibrar partidas. O clube pode trazer um substituto de peso, mas é difícil encontrar por valor acessível alguém que chegue rendendo para o time o mesmo que Dudu rendia.

Outro baque técnico foi sentido pelo São Paulo, que viu Antony partir para o Ajax. Também não vejo no bom elenco são-paulino um sucessor pronto para o jovem talento perdido.

O golpe é forte porque a equipe do Morumbi vinha apresentando seu melhor futebol nós últimos anos.

A saída de Antony já era prevista, mas ele jogaria até o final do Estadual, se a competição não fosse suspensa.

É a mesma situação de Pedrinho. Ele poderia ter terminado o Estadual pelo Corinthians, se não houvesse paralisação. Vendido ao Benfica, o jogador ainda não se apresentou ao clube português, mas já não atua pelo Corinthians.

Pedrinho nunca explodiu como o torcedor corintiano esperava, ainda assim era o jogador mais habilidoso do elenco. Faltava transformar sua técnica em algo constantemente positivo para o time.

Outra perda da equipe de Tiago Nunes é a do zagueiro Pedro Henrique. Negociado com o Athletico, ele poderia ser útil durante a temporada, principalmente no desgastante Campeonato Brasileiro.

Vagner Love também se foi, mas, nesse caso, o Corinthians contratou um jogador que pode ser superior: Jô. O alvinegro trouxe ainda Léo Natel, que ficou sem contrato com o São Paulo, como aposta.

Por sua vez, o Santos simboliza a combinação entre enfraquecimento técnico e financeiro.

O clube presidido por José Carlos Peres viu Everson e Sasha pedirem suas rescisões na Justiça do Trabalho alegando atraso nas remunerações, além de outros problemas. Yuri Alberto, em fim de contrato, deve ser anunciado pelo Internacional. Felipe Aguilar foi vendido para o Athletico.

Sem poder registrar novos jogadores por conta de punição da Fifa, o Santos inscreveu promessas da base para o retorno do Paulista.

Se serve de consolo para o torcedor santista, o Corinthians também agravou sua crise financeira enquanto o futebol ficou congelado. Houve uma explosão de ações na Justiça por causa de dívidas, além de decisões nos tribunais desfavoráveis ao clube comandado por Andrés Sanchez.

Além da redução salarial durante a pandemia, jogadores e funcionários corintianos enfrentaram atrasos em seus pagamentos.

Como mostrou o UOL Esporte, os salários de maio dos atletas foram pagos nesta segunda (20). O São Paulo também tem dificuldades para pagar as remunerações em dia.

Diferentemente do que a volta do campeonato poderia sugerir, a pandemia não está sobre controle no Estado. Prova disso é o fato de nem todos os times poderem jogar em suas cidades devido a medidas de distanciamento social. É o caso do Botafogo de Ribeirão Preto. O município vive momento crítico na crise sanitária.

A direção do Botafogo criticou abertamente o retorno, mas não foi ouvida. Prevaleceu a tese da Federação Paulista de que o protocolo de segurança criado pela entidade é eficiente.

Assim, o show será retomado em meio a perdas técnicas, caos financeiros e um vírus ameaçador.

 

Parceiro de Timão e Cruzeiro tem ‘parça’ de Neymar e tentou Galo e Santos

Leia o post original por Perrone

Antes de fechar contrato de patrocínio com Corinthians e Cruzeiro, a empresa responsável pela marca Galera.bet, voltada para sites de apostas, procurou Atlético-MG e Santos. Atualmente, o grupo busca outros times brasileiros que não sejam concorrentes das duas agremiações já parceiras.

Conforme apurou o blog, no Galo o discurso interno é de que não houve interesse do clube em seguir com as conversas. Já com o alvinegro do litoral paulista divergências comerciais impediram o acerto.

O Galera Group, detentor da Galera.bet, tem sede em Israel e escritório no Chipre. Seu braço brasileiro tem entre seus conselheiros um “parça” de Neymar e um empresário que ficou conhecido em seu começo de carreira pela amizade com Vanderlei Luxemburgo.

Na Jucesp (Junta Comercial de São Paulo), a Galera Gaming, empresa criada pelo grupo no Brasil, está registrada com capital de R$140 mil.

Galo e Santos

A conversa da empresa com o Galo aconteceu faz cerca de dois meses. Segundo fonte no Atlético-MG, o clube não demonstrou interesse em seguir negociação para tentar viabilizar o patrocínio da Galera.bet.

No Santos, porém, as tratativas andaram mais após o departamento jurídico da agremiação dar sinal verde.

A proposta também era para patrocínio na omoplata. No entanto, conforme apurou o blog, a conversa travou porque o Santos queria incluir uma cláusula que permitisse a rescisão caso o clube fechasse patrocínio principal com outra empresa do ramo de aposta. Os responsáveis pela Galera.bet não aceitaram a condição.

Em maio, o Santos anunciou patrocínio do site “Casa de Apostas” na mesma parte da camisa negociada com o Galera Group. A avaliação entre os dirigentes santistas é de que o contrato fechado é mais rentável em relação à negociação que não vingou.

Em nota enviada ao blog, o Galera Group confirmou as conversas com Atlético-MG e Santos.

“Neste momento, estamos em contato com outros clubes que não conflitam com os atuais contratados. E já respondendo a uma das suas perguntas, infelizmente não chegamos a um acordo com o Atlético Mineiro nem com o Santos, pois não conseguimos fechar um modelo de contrato e parceria que fizesse sentido para o grupo devido a restrições contratuais das próprias instituições. Outro detalhe importante, como se trata de uma parceria real, não iremos fechar contrato com clubes da mesma localidade e que mantenham rivalidade esportiva. Por isso estamos escolhendo nossos parceiros com
muita precaução. E para esta escolha, e tratativas comerciais, estamos contando com a assessoria de um grupo de especialistas e conhecedores do futebol brasileiro, que são os senhores
Márcio Carmo, Ibraim Neto e João Celso”, diz trecho do comunicado.

“Parça” 

João Celso, conselheiro da empresa, é conhecido “parça” de Neymar. O amigo do astro do PSG é empresário de jogadores.

Em 2018, após marcar um gol pelo PSG, Neymar homenageou o parceiro equilibrando uma chuteira na cabeça. Depois, postou em rede social fotos do empresário equilibrando copos na testa.

Também citado como assessor da empresa, Márcio Carmo começou no futebol sendo conhecido por sua amizade com Luxemburgo e carregando o apelido de Márcio da Kelme em alusão ao nome da empresa para qual trabalhava.

Mudança de nome

De acordo com registro na Jucesp (Junta Comercial de São Paulo), a subsidiária do Galera Group no Brasil está cadastrada com o nome de Galera Gaming Jogos Eletrônicos Eireli. Esse é o novo nome de uma empresa criada como Canal 1 Participações, constituída em outubro de 2018. Em 20 de fevereiro de 2020, ela passou a ter a denominação atual.

Ao ser indagado se o capital de R$ 140 mil registrado pela Galera Gaming na Jucesp não é pequeno para quem acertou contratos milionários com Corinthians e Cruzeiro, o Galera Group respondeu o seguinte:

“Sobre o capital social da brasileira Galera Gaming, como previamente informado a empresa é uma subsidiária Galera Group no Brasil, e como tal pode legalmente assinar contratos, acordos comerciais e parcerias e tem todo o respaldo financeiro e lastro do grupo de investidores de nossa empresa, Galera Group, para honrar seus compromissos. Como o setor que ainda aguarda a regulamentação federal, nenhum dos produtos e serviços que a Galera Gaming desenvolverá e/ou operará no Brasil envolverão apostas a dinheiro”.

Ainda segundo dados disponíveis na Jucesp, o quadro societário da Galera Gaming aponta como titular o israelense Isaac Michael Abihssira, residente em Israel. O brasileiro Saul Simão Valt, com residência em São Paulo, cidade em que fica a sede da empresa, aparece como administrador e procurador de  Abihssira, assinando pela companhia.

Na Jucesp há registro de outra empresa no mesmo endereço da parceira de Corinthians e Cruzeiro. Trata-se da B.K. Mining Consultoria de Mineração. Vinculados a ela estão Valt e Ibraim Neto.

O blog perguntou ao Galera Group se a  patrocinadora dos dois times brasileiros funciona no mesmo endereço de outras empresas.

“Atualmente, a Galera Gaming está localizada em um andar de um edifício comercial, onde existem outras salas comerciais. Devido à pandemia do COVID19 a equipe está trabalhando atualmente em sistema de home office”, respondeu a empresa.

Respostas

A seguir, na íntegra, leia as respostas do Galera Group ao Blog. O comunicado detalha as parcerias com Corinthians e Cruzeiro, além de explicar o interesse no mercado brasileiro.

“Seguem abaixo as informações solicitadas sobre o Galera Group, além de dados complementares a respeito do mercado de apostas.

Como sabe, as apostas esportivas hoje representam um mercado consolidado de US$ 144 bilhões e que, todos os anos, cresce dois dígitos. Portanto é um dos poucos mercados globais com um alto potencial de crescimento, principalmente em países que
estão rumo à regulamentação – caso do Brasil.
É um mercado maduro, formado por empresas altamente eficientes, profissionais, com
alta credibilidade e reputação. Muitas delas inclusive são empresas de capital aberto listadas em bolsas de valores.
Por conta disso, em janeiro de 2020, executivos que já participaram de empresas consolidadas neste mercado, como William Hill, Intralot, Winner, bwin, PlayTech, Caliente e Intercasino, se uniram para formar o Galera Group.
O Galera Group é o detentor da marca galera.bet, tem sede em Israel e escritório no Chipre. Nossa empresa fará hospedagem, operação e gestão de todas as plataformas de apostas como a do Corinthians, Cruzeiro e também do GaleraBet, sempre de forma
remota, fora do Brasil.
Nossa parceria com os clubes tem o formato de licenciamento de marca para uma plataforma de jogos, e a parceria vai garantir, na forma de royalties, divisas para os clubes. Diferentemente de outros formatos comumente usados em todo o mundo, a marca que será estampada nas camisetas dos clubes será o nome escolhido pela torcida
dos respectivos clubes, em votações que já estão em curso, e não a marca do Galera.bet.
Essa é uma ação de marketing totalmente inovadora na qual colocamos o clube e seu torcedor como protagonistas da ação.
Portanto serão 3 plataformas distintas: Corinthians, Cruzeiro e a própria Galera.bet.
Acreditamos que esse formato, similar a um white label, via royalties, engaja a torcida e traz um ambiente seguro e confiável para o torcedor de cada time apostar.
Com isso, torcedores dos clubes parceiros, maiores de 18 anos, poderão jogar em modalidades como futebol, tênis, baseball, basquete, boxe, MMA, e-Sports entre outros.
Neste momento, estamos em contato com outros clubes que não conflitam com os atuais contratados. E já respondendo a uma das suas perguntas, infelizmente não chegamos a um acordo com o Atlético Mineiro nem com o Santos, pois não conseguimos fechar um modelo de contrato e parceria que fizesse sentido para o grupo devido a restrições
contratuais das próprias instituições. Outro detalhe importante, como se trata de uma parceria real, não iremos fechar contrato com clubes da mesma localidade e que mantenham rivalidade esportiva. Por isso estamos escolhendo nossos parceiros com muita precaução.
E para esta escolha, e tratativas comerciais, estamos contando com a assessoria de um grupo de especialistas e conhecedores do futebol brasileiros, que são os senhores Márcio Carmo, Ibraim Neto e João Celso.
O Galera Group é uma empresa nova, com um mindset extremante inovador, ágil, e que tem foco em mercados em ascensão já regulamentados ou em processo de regulamentação. Como o Brasil, muito em breve, terá a sua Lei Federal 13.756, de 12
de dezembro de 2018, regulamentada, o país se tornou a maior “aposta” do Galera
Group.
Segundo o Diário Oficial da União as apostas esportivas foram inclusive incluídas no Programa de Parcerias de Investimentos do Governo Federal e incluídas no Plano Nacional de Desestatização (PND), portanto muito em breve o Brasil terá a atividade regulamentada.
Por isso, neste momento, quisemos “colocar o pé no Brasil” criando uma subsidiária do Galera Group. Esta empresa brasileira se chama Galera Gaming, e é uma startup de tecnologia e marketing com foco em dados e entretenimento ligados ao mercado de
esporte. É fundamental termos um braço local, que entenda o mercado brasileiro. Este é um fator crucial para termos sucesso em nossa operação.
A Galera Gaming já começou a desenvolver no Brasil aplicações que usam inteligência artificial e machine learning para calcular probabilidades e estatísticas ligadas a esportes,
além de games sociais e outros serviços de Live Score.
Também tem como missão dois importantíssimos pilares muito ligados ao propósito do Galera Group:
1. entender os hábitos de consumo, e comportamento do brasileiro no que diz respeito a esportes e apostas esportivas para criar a melhor experiência possível aos nossos futuros usuários, e;
2. disseminar conteúdo relacionado ao Jogo Responsável, pois como o Brasil ainda é um mercado imaturo no que diz respeito a apostas esportivas, o pilar educacional é primordial.

Como o setor ainda aguarda a regulamentação federal, nenhum dos produtos e serviços que a Galera Gaming operará no Brasil envolverá apostas a dinheiro.
Como o Galera Gaming é uma subsidiária do Galera Group no Brasil, pode legalmente assinar os contratos com os clubes, pois tem todo o respaldo financeiro do grupo de investidores de nossa empresa.
E aqui, podemos já lhe adiantar uma informação relevante: alguns destes investidores têm ações listadas em bolsa de valores, ou seja, mais um motivo para que tenhamos todo o cuidado e fidúcia para atender as rígidas cláusulas de compliance destas empresas. E por esta, e outras razões tais como procedimentos e processos, o Galera Group, é auditado pela Ernst & Young. Com relação aos demais questionamentos, não respondidos acima, posso afirmar que:
• O Sr. Ibraim Neto não tem e nunca teve sociedade como o Sr. Edinho dos Santos (o blog havia perguntado se ele foi sócio do filho de Pelé);
• No que diz respeito ao Galera Group, o Sr. Josh Baazov participou apenas do escopo inicial do projeto, mas em março de 2020 não entrou de fato numa composição societária e portanto não faz parte do quadro de sócios do Galera Group (o blog obteve a informação de que Baazov teve seu nome vinculado à empresa durante as negociações com Santos e Atlético-MG);
• O Sr. Valt fez parte, de 2007 até 2010, do conselho administrativo de uma empresa no setor de trading de minérios em Israel, a qual possuía acordos em vários países do mundo. Não participou das operações da empresa e não responde a nenhum processo.
• O evento intitulado Panama Papers e os outros mencionados tratou-se de vazamento de informações com todos os nomes de empresas e sócios das mesmas que estavam presentes no país. O Sr. Valt ainda é sócio de duas empresas na localidade perfeitamente documentadas e regulamentadas.

Cordialmente, Galera Group”.

Após o envio desse comunicado, o blog fez novas perguntas e obteve a seguinte resposta:

“Sobre o capital social da brasileira Galera Gaming, como previamente informado a empresa é um subsidiária Galera Group no Brasil, e como tal pode legalmente assinar contratos, acordos comerciais e parcerias e tem todo o respaldo financeiro e lastro do grupo de investidores de nossa empresa, Galera Group, para honrar seus compromissos.

Como o setor ainda aguarda a regulamentação federal, nenhum dos produtos e serviços que a Galera Gaming desenvolverá e/ou operará no Brasil envolverão apostas a dinheiro.

Atualmente a Galera Gaming está localizada em um andar de um edifício comercial, onde existem outras salas comerciais. Devido à pandemia do COVID19 a equipe está trabalhando atualmente em sistema de home office”.

Palmeiras e São Paulo são os meus favoritos na retomada do Paulistão !

Leia o post original por Nilson Cesar

Acho que dificilmente este ano o título paulista não ficará com Palmeiras ou São Paulo . Não acredito nessa equipe do Santos e o Corinthians vai brigar para não ser rebaixado para a série A2 . Das equipes do interior vejo alguma chance para o Red Bull Bragantino . Santo André perdeu vários atletas e isso vai pesar . Só acho que os treinos já poderiam ter sido retomados . O Paulistão deve retomar…

Fonte

De Cueva a cartão de crédito: 21 perguntas de sócios ao presidente santista

Leia o post original por Perrone

O “Grupo Sugestões e Críticas aos Santos FC”, formado majoritariamente por sócios do clube, enviou no último 28 ao Conselho Deliberativo uma carta aberta ao presidente da agremiação, José Carlos Peres. Ela traz 21 perguntas sobre a atual gestão.

O documento apresenta perguntas sobre a contratação de Cueva, gastos do cartola com cartão corporativo da agremiação e dívidas não pagas, entre outras.

A carta foi enviada por Márcio Veratti,  membro do grupo. Ao blog, Marcelo Teixeira, presidente do Conselho Deliberativo, confirmou o recebimento das perguntas e informou que elas seriam encaminhadas ao Comitê de Gestão.

Por sua vez, Peres afirmou que responderia às perguntas e enviaria as respostas ao blog. Isso não foi feito até a conclusão deste post.

“São perguntas pinçadas a serviço de determinado candidato à presidência no sentido da desqualificação da gestão atual. Jogo sujo e rasteiro, não respeitando momento dramático com milhares de pessoas (mortas por Covid-19) a cada semana. Perguntas chulas: “por que não fez isto ou aquilo? Oras, isto faz parte de administração, cada ação tem um motivo”, declarou o presidente em mensagem enviada por celular.

Abaixo, leia as 21 perguntas.

28 de Maio de 2020
Carta aberta ao Senhor Marcelo Pirilo Teixeira Presidente da Mesa Diretiva do Conselho Deliberativo do Santos FC

Nós associados do Santos do Grupo Sugestões e Críticas ao Santos FC vemos o senhor Marcelo Pirilo Teixeira como atual voz dos sócios e representante maior no Conselho Deliberativo, e gostaríamos de através de seu posto, que seja nosso canal de comunicação para obtermos algumas respostas do Presidente do Comitê de Gestão do Santos FC senhor José Carlos Peres, pois são questionamentos que nenhum órgão de imprensa faz, mas que nós associados temos o direito de saber para que possamos sentir ou não sinceridade de nosso maior representante no clube.

1-Presidente José Carlos Peres, Cleber Reis foi um erro de contratação da antiga gestão sim, mas a dívida é do clube que o senhor preside, inclusive com parcelas que venceram em sua gestão, Porque o não pagamento desta dívida?

2-Presidente José Carlos Peres, Porque o não pagamento ao Atlético Nacional da contratação do atleta Aguilar, que inclusive já foi negociado? Porque não usou a receita dessa negociação para quitar essa dívida, e o por que não atender as ligações do clube colombiano?

3-Presidente José Carlos Peres, porque o não pagamento da primeira parcela da contratação do atleta Cueva e quem foi o agente intermediário da negociação do clube russo com o Santos FC?

4-Presidente José Carlos Peres, mesmo sabendo do histórico negativo do atleta Cueva pelos clubes que passou, não parou para pensar que investir R$27 milhões neste atleta seria um grande risco? Lembrando que todo pedido de um técnico deve ser analisado o custo benefício pela diretoria.

5-Presidente José Carlos Peres, anunciar no site oficial do Santos FC as contas do ano de 2019 sem o parecer do Conselho Fiscal, não seria o mesmo que uma mãe zelosa advogar para o seu próprio filho?

6-Presidente José Carlos Peres, sua trajetória como gestor do Santos FC protagonizou mais de cinco saídas de diretores e gerentes de futebol do clube, com todos eles tendo o mesmo discurso, que o senhor é uma pessoa muito difícil de trabalhar. Todos eles estão errados e o senhor está certo?

7-Presidente José Carlos Peres, sua trajetória como gestor do Santos FC também protagonizou muita confusão e falta de entendimento com empresários e agentes de atletas. Esses profissionais todos se queixaram do senhor não comparecer nos compromissos ou se atrasar muito. Todos esses profissionais também estão errados e o senhor está certo?

8-Presidente José Carlos Peres, foi provado através de extratos que o senhor usou o cartão corporativo do clube para gastos pessoais, como por exemplo aromatizante em loja feminina, jantar em local que não serve jantar (o cartola diz que houve um erro e que na verdade comprou presente para ser dado em nome do Santos), MCdonald’s, (alegando sendo encontro de negócios que me parece um pouco estranho a escolha, pois acredito que os possíveis parceiros do Santos FC possam ter mais de 15 anos) e pagamentos de assinaturas de blogs informativos na internet. Com esse cenário, o senhor só ressarciu o clube depois de meses por conta da cobrança do Conselho Fiscal e Conselho Deliberativo. Porque efetuou esses gastos pessoais e ressarciu o clube apenas ser cobrado? E porque o gasto com um blog que não é oficial do clube?

9-Presidente José Carlos Peres, o senhor diz até hoje ter acabado com a mamata no Santos, mas os números dos relatórios fiscais mostram um aumento de mais de 200 funcionários e tendo a folha mensal de pagamento quase dobrada. Como o senhor explica essa situação adversa a sua fala com provas válidas documentadas, votadas e sacramentadas em plenário?

10-Presidente José Carlos Peres, o senhor diz não ter relação nenhuma com o empresário Renato Duprat, o mesmo que intermediou a contratação de Leandro Damião. Apesar de um conselheiro ter provado em púlpito no plenário do conselho a participação de Renato Duprat na negociação de Cueva, o senhor continua negando?

11-Presidente José Carlos Peres, porque sua gestão tem tanta dificuldade em lidar com renovações de contratos de atletas, onde na maioria das vezes o clube deixou que atletas saíssem de graça?

12-Presidente José Carlos Peres, em campanha, o senhor prometeu chegar a 100 mil sócios e recuperar o patrocínio máster. A sua gestão já está muito próxima do fim, e o clube não passa de 27 mil sócios e o patrocínio máster nunca apareceu. O que aconteceu de errado?

13-Presidente José Carlos Peres, Roberto Diomed é um empresário interessado em investir no Retrofit da Vila Belmiro. Por onde anda Roberto Diomed? Quanto custou e quem pagou o pré-projeto do arquiteto e a maquete? E se Roberto Diomed está interessado em investir no Santos FC, porque há uma outra negociação com a WTorre? Mesmo bem próximo do fim de sua gestão, o senhor ainda sonha com o Retrofit?

14-Presidente José Carlos Peres, o senhor sofreu dois processos de impeachment por irregularidades estatutárias, mas se defende dizendo que os processos foram políticos. O que o senhor diz da justiça comum negar seis (6) liminares do senhor para tentar impedir o pleito com a decisão dos sócios? O senhor não acha que se os processos não tivessem validades legais regidas dentro do estatuto social do Santos FC, o senhor não teria êxito nessas seis (6) liminares decididas por juízes isentos nos assuntos do clube?

15-Presidente José Carlos Peres, o senhor promoveu uma concorrência para implantar o voto a distância e não consultou as empresas que atuam no Grêmio e no Internacional, escolhendo uma sem experiência com clubes de futebol da grandeza do Santos. Por que elas não foram contatadas?

16- Presidente José Carlos Peres, Porque o senhor reluta tanto em realizar a auditoria no quadro associativo do Santos FC já votada e aprovada em plenário e já auditada? Adiantamos que sua resposta da reformulação já feita eliminando os associados sem CPF não é suficiente e não transmite imparcialidade.

17-Presidente José Carlos Peres, A Santos Business Center foi criada na cidade de São Paulo com o objetivo de aproveitar o mercado da grande metrópole. Que grande negócio, parceiro ou patrocinador a Business Center trouxe para o clube?

18-Presidente José Carlos Peres, o senhor declarou e mencionou que vice-presidentes de outros grandes clubes ninguém sabem os nomes, que não tem tanta importância, onde apenas no Santos tinha, sendo contra a essa situação. Mas o Santos FC não é um clube presidencialista, e sim gerido por um comitê de gestão com decisões tomadas em colegiado com o vice-presidente do comitê (Orlando Rollo) de gestão e os demais membros. Seu pensamento não vai contra o que rege o estatuto social do Santos FC?

19- Presidente José Carlos Peres, porque o não pagamento do atleta Luan Peres?

20- Presidente José Carlos Peres, o que o senhor pensa com declarações de muitos jogadores em rede nacional cobrando vencimentos atrasados, valorização e alguns declarando que sonham jogar em outros clubes?

21-Presidente José Carlos Peres, sabemos que o cargo de presidente do comitê de gestão do Santos FC não é um cargo remunerado, e que também ocupa 100% de seu tempo disponível onde faz o senhor trabalhar até 16 horas por dia como o mesmo já disse. Como o senhor administra atualmente sua vida financeira, já que nas últimas três (3) gestões do Santos FC o senhor teve cargos remunerados e agora não?

Atenciosamente,
Grupo Sugestões e Críticas ao Santos FC

Secretaria analisa possibilidade de usar estrutura do São Paulo em pandemia

Leia o post original por Perrone

A Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo analisa a viabilidade técnica e a necessidade de usar os equipamentos oferecidos pelo São Paulo no combate ao avanço do coronavírus. A principal estrutura são-paulina é o estádio do Morumbi.

O departamento de comunicação do órgão cestadual confirmou que o clube tricolor fez a oferta e analisa a situação.

Outras estruturas importantes são os centros de treinamentos das categorias de base e do time principal.

O Pacaembu, por exemplo, está recebendo um hospital de campanha para  atendimentos durante a pandemia.

No último sábado (21), o Corinthians publicou em rede social que colocou à disposição das autoridades todos os seus equipamentos.

Ao blog, o setor de comunicação da secretaria estadual afirmou que não poderia confirmar no final de semana se recebeu oficialmente a oferta corintiana. Contudo, ela também deve ser analisada.

“Face ao necessário enfrentamento da epidemia de coronavírus no Brasil, e fiel à sua tradição de solidariedade e responsabilidade social, o Sport Club Corinthians Paulista está disponibilizando todos os seus equipamentos para que as autoridades avaliem de que forma poderão ser utilizados no combate ao avanço da doença e na assistência à população em geral. Estão à disposição, desta forma, sua sede social, no Parque São Jorge, o centro de treinamento Dr. Joaquim Grava e a Arena Corinthians”.

Por sua vez o Palmeiras emitiu nota afirmando que está pronto para contribuir com ações e recursos no combate à pandemia.

O presidente do alviverde, Maurício Galiotte, conversou com autoridades envolvidas com o tema e colocou a estrutura do clube à disposição.

O Allianz Parque, estádio palmeirense, será usado nesta segunda (23) para uma campanha de vacinação contra a gripe influenza.

Santos

José Carlos Peres presidente do Santos disse ao blog que ofereceu à Secretaria Municipal da Saúde da cidade litorânea as instalações de seu clube.

“Oferecemos a nossa infraestrutura, como por exemplo o Salão de Mármore (área na Vila Belmiro em que o clube realiza eventos importantes). E o apoio para construir provisoriamente o que for possível. Temos espaço e um departamento de patrimônio. Se houver demanda, temos engenheiros, eletricistas, encanadores, pintores, todos à disposição”, afirmou Peres. 

Futebol sem público !

Leia o post original por Nilson Cesar

Está correto . Todas as providências de precaução em relação ao corona vírus estão corretas . Não sei nada de Medicina , mas me informo muito . As pessoas devem seguir as regras e se prevenirem . Nada a contestar . O campeonato paulista na cidade de São Paulo não terá a presença do público . Os jogadores que se apliquem da mesma maneira e boa. Teremos São Paulo e Santos jogando no Morumbi e espero…

Fonte

Quatro motivos para Galo festejar vinda de Sampaoli. E 4 para se preocupar

Leia o post original por Perrone

O Atlético-MG deve comemorar a contratação de Jorge Sampaoli por ter trazido um técnico…

… competente. Se havia dúvidas em relação sua fase atual, o vice-campeonato brasileiro com o Santos reforçou sua imagem de bom treinador.

… com experiência internacional e agora já adaptado ao futebol brasileiro.

… que obriga seus times a buscarem a vitória sempre. Seja dentro ou fora de casa.

… que prioriza o futebol ofensivo, sem desproteger a defesa. O equilíbrio entre esses dois setores foi uma marca do Santos de Sampaoli. Os santistas terminaram o Brasileirão do ano passado com o quarto maior número de gols marcados: 60. Ao mesmo tempo, a defesa do time paulista foi a quarta menos vazada, sofrendo 33 gols. Segundo o site Footstats, o Santos teve a segunda melhor média de finalizações certas  do último Brasileirão: 6,1 por jogo. O time de Sampaoli ainda registrou a segunda melhor média de desarmes certos por partida, empatado com o  Internacional: 17,1.

Porém, o Galo também tem motivos para se preocupar porque Sampaoli é um técnico que…

… exige reforços para fazer com que seus times tenham elencos em condições de disputar títulos. É preciso fazer investimentos altos em contratações para agradá-lo. O argentino não é do tipo de treinador que se vira com o que tem. E ele cobra os dirigentes em público, se for preciso, por eventuais promessas de contratações não cumpridas. Isso aconteceu várias vezes no Santos.

… Acerta, mas também erra ao indicar jogadores. Na Vila Belmiro, o principal acerto foi a indicação de Soteldo. No entanto, fez uma aposta de risco em Cueva, que rapidamente se transformou em fracasso.

… tem temperamento difícil. Os relatos no Santos são de convivência conflituosa com funcionários que cometiam algo que o desagradasse profissionalmente.

… quer o controle de quase tudo no departamento de futebol. Gosta de ter carta branca em todos os setores. Para a parceria com o técnico dar certo, a diretoria terá que aceitar esse estilo centralizador.