Arquivo da categoria: São Paulo

Cadê o Soberano? Morreu de vez para o G-4?

Leia o post original por Craque Neto 10

Olha como são as coisas, durante essa semana o que mais vi pelas ruas foram os torcedores são-paulinos bem contentes com a posição no G-4 e confiantes no trabalho do técnico Fernando Diniz. E por mais que eu tenha um baita pé atrás com o que ele fez na carreira – que é quase nada!, …

Cadê o Soberano? Morreu de vez para o G-4? Read More »

O post Cadê o Soberano? Morreu de vez para o G-4? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

SPFC vence em 1ª instância zagueiro que culpa clube por problema físico

Leia o post original por Perrone

O São Paulo obteve em primeira instância na Justiça do Trabalho vitória em ação na qual seu ex-zagueiro Luiz Eduardo, que atuou no clube entre 2015 e 2016, cobrava R$ 200 mil. Todos os pedidos feitos por ele foram negados, incluindo uma indenização por problema no joelho pelo qual responsabiliza a agremiação.

Luiz Eduardo Rodrigues também pedia o recebimento de valores que ele alegava terem sido ajustados num suposto contrato de gaveta não reconhecido pela Justiça do Trabalho em decisão do último dia 25. Outra solicitação negada foi a de que quantias pagas como direitos de imagem fossem consideradas parte do salário. Cabe recurso em todas as solicitações.

No ponto mais inusitado da ação, Luiz Eduardo sustenta que teve a carreira atrapalhada por um grave problema físico do qual o São Paulo seria responsável. Relatório de perito indicado pela Justiça, no entanto, apontou que a origem da moléstia “decorre de alterações anatômicas (estruturais/congênitas) no joelho esquerdo” e que a atividade de atleta atuou como desencadeante do problema para o qual havia predisposição congênita.

Em resposta a questionamento feito pela Justiça, o perito também afirmou que o São Paulo não poderia ter realizado nenhum tipo de prevenção que evitaria o desencadeamento da doença. Ou seja, foi afastada a possibilidade de culpa do clube.

O juiz substituto Thomaz Moreira Werneck também entendeu que a agremiação cumpriu sua obrigação legal de contratar seguro para cobrir eventuais prejuízos do jogador com problemas físicos como o relatado pelo zagueiro, mas que cabia ao atleta acionar a seguradora, o que não foi feito.

Além de ter todos os seus pedidos negados, Luiz Eduardo foi condenado a pagar R$ 3.000 referentes ao trabalho do perito no caso, custas processuais de R$ 4.000 e honorários advocatícios relativos à defesa do São Paulo estipulados em 5% do valor da causa.

Criticado em clássico, Daniel Alves tem estatísticas a seu favor

Leia o post original por Perrone

Criticado por parcelas da torcida e da imprensa devido a sua atuação na derrota do São Paulo por 3 a 0 para o Palmeiras, na última quarta (30), Daniel Alves tem uma série de estatísticas a seu favor. Ele está entre os dois melhores do time no Brasileirão em pelo menos quatro fundamentos importantes, de acordo com o site “Footstats”. Além disso, no clássico em que foi contestado o lateral e meia teve desempenho semelhante à sua média na maioria desses fundamentos.

Dani é quem mais acerta cruzamentos em média por jogo no Brasileiro entre os atletas do São Paulo: 2,4. Diante do alviverde, no Allianz Parque, ele cruzou duas bolas com precisão.

O ex-jogador de Barcelona e PSG divide com Antony a liderança do ranking de média de assistências da equipe no Nacional: 0,2 por partida. Contra o Palmeiras, como o time tricolor não fez gols, não houve assistências.

Nos dribles, Daniel Alves só fica atrás de Antony. O veterano tem média de um drible certo por jogo contra 1,4 da revelação são-paulina. No clássico no Allianz, o lateral e meia driblou corretamente uma vez, exatamente dentro de seu padrão. Contra a equipe de Mano Menezes ele ainda foi o atleta tricolor que mais acertou passes (99). Seu índice de acerto nas trocas de bola foi de 93,3%. A marca supera sua média na competição, que é de 89,1% e não está entre as mais altas do time.

No Brasileirão, Dani é ainda o segundo são-paulino que mais recebe faltas com média de 2,3 por apresentação. Só Antony (2,6) apanha mais. Em compensação, o experiente jogador da seleção brasileira é o comandado de Fernando Diniz com maior marca de faltas cometidas por jogo. São 2,8 em média. E ele manteve esse ritmo contra o Palmeiras. Foi o recordista são-paulino de infrações com três.

Na lista de são-paulinos que mais desarmam corretamente no Campeonato Brasileiro em média, Daniel só fica atrás de Reinaldo. Dani tem marca de dois desarmes certos por jogo (justamente o que registrou no clássico) diante de 2,2 do colega.

 

Justiça nega indenização cobrada do SPFC por empresa em ‘caso U2’

Leia o post original por Perrone

A Justiça negou na última terça (29) pedido de indenização por dano material feito pela Wolff  Sports & Marketing  contra o São Paulo. A empresa alega ter efetuado pagamento e não recebido ingressos para show do U2 no Morumbi em 2017. O pedido era de cerca de R$ 540 mil. Cabe recurso.

Na ação, a empresa alega que pagou R$ 750.328 para assegurar os ingressos válidos para seu camarote no estádio antecipadamente e que negociou com Alan Cimerman, ex-gerente de marketing do clube. O dinheiro foi depositado na conta da filha dele, Tatiana Langer Cimerman. A agência de marketing sustenta também que chegou a ver um recibo em nome da produtora dos shows, mas depois descobriu se tratar de um documento falso.

Nesse cenário, a Wolff conseguiu uma confissão de dívida por parte de Cimerman e afirma ter recebido dele uma devolução parcial restando a receber R$ 540.341,46. Esse foi o valor cobrado do São Paulo na Justiça.

Em defesa do clube, o departamento jurídico tricolor, comandado pelo diretor executivo Leonardo Serafim dos Anjos, argumentou que negociação foi feita sem o conhecimento da agremiação, que não poderia ser responsabilizada por uma atitude isolada de seu ex-funcionário. A decisão da juíza Daniela Pazzeto Meneghine Conceição, da 39ª Vara Cível de São Paulo, segue essa linha.

A magistrada citou que a Wolff é antiga parceira do São Paulo na busca por patrocínios e que conhece o modo de trabalho da agremiação, com contratos formais e pagamentos na conta do clube. Assim, a agência de marketing seria sabedora de que a negociação pelos ingressos para o show da banda irlandesa não seguia o procedimento normal.

Não foi feito contrato e o dinheiro foi transferido para a conta da filha de um funcionário (Cimerman). Existe um instrumento particular que se refere a uma permuta pela qual a agremiação cede um camarote no Morumbi para a parceira. No entendimento da Justiça, no entanto, o documento não engloba a operação pelos ingressos.

Trocas de mensagens entre Cimerman e representante da empresa foram usados pela juíza na sustentação de sua decisão, entre outros argumentos. “Vê-se que o negócio jurídico não se confundia com o clube, mas única e exclusivamente do prestígio gozado pelo ex-chefe do setor de marketing na obtenção de ingressos diretamente com a organizadora do evento e da relação de confiança com o representante da autora (Wolff Sports), mas que não se confundia com o exercício do labor ou da condição de representante legal do clube”.

Em outro trecho, a juíza diz ser “visível que as partes tinham pleno conhecimento de que a aquisição dos ingressos se daria pela via informal”.Além de julgar os pedidos da Wolff Sports improcedentes, a magistrada condenou a empresa a pagar pelas despesas processuais e pelos honorários advocatícios.

Dívidas: A proporção

Leia o post original por Rica Perrone

Na real toda dívida é relativa. Se você deve 40 mil e ganha 30 por mes não é um absurdo impagável a médio prazo. Se você ganha 2 por mes os mesmos 40 se tornam um enorme problema. Por isso fiz uma comparação com a dívida de 2018 e as receitas de 2018. Obviamente considerando…

Dívidas: Dos 12, só Flamengo, São Paulo e Grêmio respiram

Leia o post original por Rica Perrone

  As dívidas dos clubes brasileiros são assunto desde o começo da década de 2000, quando isso se tornou público de forma mais clara. Se comparada a receita, algumas dívidas que parecem aumentar apenas se sustentaram. Mas a grosso modo, todo mundo subiu o que deve. Dos 12 grandes, Flamengo, São Paulo e Grêmio tem…

Quebras de sigilo bancário arrastam investigação que envolve Aidar no SPFC

Leia o post original por Perrone

Cerca de três anos e nove meses após começar, a investigação do Ministério Público paulista sobre a compra do zagueiro Maidana feita pelo São Paulo na gestão de Carlos Miguel Aidar não foi concluída. A demora incomoda conselheiros são-paulinos que fizeram a denúncia, entre eles Newton Ferreira, o “Newton do Chapéu”, opositor e ex-candidato à presidência.

A principal suspeita é de crime de lavagem de dinheiro, o que os envolvidos na operação sempre negaram. Conforme apurou o blog, o MP ainda não conseguiu concluir os trabalhos principalmente por conta de uma série de quebras de sigilos bancários autorizados pela Justiça. Há um grande volume de informações que precisam ser checadas. A intenção é seguir o caminho da dinheiro.

A maneira mais prática de se demonstrar a lavagem é identificar o retorno do dinheiro para os que participaram da operação original. Essa comprovação foi dificultada pela quantidade de empresas que apareceram depois do primeiro pagamento. Nesse momento, técnicos se debruçam principalmente sobre movimentações fora do padrão feitas em algumas das contas que tiveram os sigilos quebrados.

A pedido do MP, a Justiça decretou sigilo das investigações. Segundo fonte no Ministério Público, o segredo vale para as peças referentes aos dados bancários e foi solicitado para preservar direitos dos donos das contas.

Entre as contas que  tiveram pedido de quebra de sigilo estão as do Monte Cristo, time que vendeu Maidana ao São Paulo sem chegar a aproveitá-lo, e de uma empresa pertencente a Cinira Maturana, namorada de Aidar. O casal nega ter praticado crimes.

De acordo com as investigações feitas pelo Ministério Público, o Monte Cristo, de Goiás, pagou R$ 400 mil ao Criciúma pelo jogador usando dinheiro colocado no negócio pela empresa Itaquerão Soccer. Dias depois, o atleta, hoje no Atlético-MG, foi vendido ao São Paulo por R$ 2 milhões, de acordo com a promotoria, o que gerou a suspeita de lavagem de dinheiro.

As investigações são conduzidas pelo GEDEC (Grupo de Atuação Especial de Repressão à Formação de Cartel e à Lavagem de dinheiro e de Recuperação de Ativos do MP).

Torcida do São Paulo pode se empolgar com Fernando Diniz?

Leia o post original por Craque Neto 10

O São Paulo recebeu o Fortaleza no Pacaembu e por mais que tenha feito um jogo um tanto irregular no primeiro tempo – abafando nos 30 minutos iniciais, é verdade!-, venceu por 2 a 1 no apito final e segue brigando firme e forte por uma posição no G-4. Essa foi a primeira vitória do Tricolor sob o comando do novo técnico Fernando Diniz, que recentemente substituiu o Cuca no cargo. A pergunta que fica é: será que a troca de comando está mesmo empolgado o torcedor? Eu particularmente não gosto do estilo dele. Nada pessoal. Só acho que o […]

O post Torcida do São Paulo pode se empolgar com Fernando Diniz? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Sim, é pra comemorar

Leia o post original por Rica Perrone

O rubro-negro estranha. “Tão comemorando empate?”. O tricolor sorri, porque sim, estamos. O melhor time do país com alguma sobra técnica para os demais contra um time que teve um dia com o novo treinador em crise. Se perdesse de 1×0, 2×1 eu já estaria aliviado. Empate? Porra… É o que dá. Mas não acostuma….