Arquivo da categoria: São Paulo

SP põe fim ao “super” Flamengo?

Leia o post original por Craque Neto 10

Fim de jogo! O supertime do Flamengo, megavalorizado com a baita temporada que fez em 2019 e no início de 2020, levou um CHOCOLATE do São Paulo no Morumbi, perdeu por 3 a 0 – fora o baile! – e está eliminado da Copa do Brasil. Mais uma derrota doída já que os cariocas só […]

O post SP põe fim ao “super” Flamengo? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Tricolor ‘matou’ estreia de Rogério Ceni no Mengão

Leia o post original por Craque Neto 10

Flamengo e São Paulo fizeram o duelo mais aguardado e disputado das quartas-de-finais da Copa do Brasil 2020. O primeiro tempo foi marcado pela força do ataque rubro-negro, que praticamente dominou os principais lances. Só o Gabigol teve umas duas chances claras de gol. Aliás ele chegou a fazer um gol anulado pelo ‘VAR’. Bem […]

O post Tricolor ‘matou’ estreia de Rogério Ceni no Mengão apareceu primeiro em Craque Neto 10.

São Paulo eliminado pelo Mirassol da Argentina.

Leia o post original por Nilson Cesar

O Lanus tem um time fraquinho demais. Mesmo assim eliminou o grande São Paulo pela sul-americana . Time tricolor acabou sendo juvenil . Culpa de todos . Jogadores e comissão técnica . Mais uma vez o torcedor tricolor fica sem a possibilidade de um título . O time não é confiável . Quem sofre com isso é o torcedor do São Paulo . Precisa sim uma mudança de comando no Morumbi .

Fonte

São Paulo pode ressurgir para títulos .

Leia o post original por Nilson Cesar

O São Paulo fez uma grande exibição no Maracanã e goleou o Flamengo por 4 x 1 . Se os jogadores acreditarem de verdade , o time pode sim brigar por títulos . A equipe vem evoluindo e mostrou como vencer o bicho papão Flamengo . Os demais são todos semelhantes . Manter a regularidade e a mesma pegada é o desafio que terá o tricolor . Fernando Diniz me parece que vem evoluindo como treinador .

Fonte

Com Dani Alves e Diniz fica difícil ver um futuro promissor no Morumbi

Leia o post original por Craque Neto 10

É verdade que o São Paulo eliminou o Fortaleza do ídolo Rogério Ceni e chegou às quartas-de-finais da Copa do Brasil. Mas posso falar? Dá maneira que foi só prova o que venho falando há um bom tempo. Com a instabilidade tática do técnico Fernando Diniz e a inoperância do Daniel Alves, que é a […]

O post Com Dani Alves e Diniz fica difícil ver um futuro promissor no Morumbi apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Com Dani Alves e Diniz fica difícil ver um futuro promissor no Morumbi

Leia o post original por Craque Neto 10

É verdade que o São Paulo eliminou o Fortaleza do ídolo Rogério Ceni e chegou às quartas-de-finais da Copa do Brasil. Mas posso falar? Dá maneira que foi só prova o que venho falando há um bom tempo. Com a instabilidade tática do técnico Fernando Diniz e a inoperância do Daniel Alves, que é a […]

O post Com Dani Alves e Diniz fica difícil ver um futuro promissor no Morumbi apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Um peso e duas medidas?

Leia o post original por Craque Neto 10

Engraçado como são as coisas, hein? Antes da partida contra o Grêmio pelo Brasileirão, a diretoria do São Paulo pediu a troca da equipe de arbitragem. O clube paulista, representado pelo diretor Raí e o gerente executivo Alexandre Pássaro, teve uma conversa com Leonardo Gaciba, chefe da Comissão de Arbitragem da CBF, para falar sobre […]

O post Um peso e duas medidas? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Para direção do São Paulo, parte dos jogadores sente cobranças mais duras

Leia o post original por Perrone

A direção do São Paulo avalia que parte do elenco sente as cobranças mais duras feitas pela torcida e que isso prejudica o rendimento time.

No último sábado, por exemplo, integrantes de torcidas organizadas fizeram um forte protesto em frente ao CT do clube na véspera do empate com o Coritiba.

O entendimento é de que essa pressão provoca um efeito negativo em alguns jogadores que ficam com medo de errar durante as partidas.  Por exemplo, o cara deixa de tentar uma finalização com receio de errar e ser mais criticado.

Os nomes dos atletas que estariam mais afetados pelas manifestações presenciais dos torcedores e nas redes sociais não são citados pela diretoria externamente.

Há um sentimento na direção de que cobranças em relação ao comprometimento dos jogadores são injustas. Os dirigentes não se queixam do empenho dos atletas em treinamentos e jogos e nem da maneira como como eles cuidam de suas formas físicas. Os problemas admitidos são mais coletivos e táticos, como falhas no sistema defensivo.

Dados dos aparelhos com GPS usados pelos atletas durante as partidas servem para defender o elenco.  O discurso é de que, constantemente, jogadores quebram seus recordes de distância percorrida.

O baixo número de lesões na temporada está entre os argumentos lançados em apoio aos jogadores. Há uma sensível diferença em relação à temporada passada.

Por tudo isso, o sentimento da direção é de que os atletas merecem ser blindados por ela. A partida contra o Atlético-GO, nesta quarta, no Morumbi,  será mais um teste para essa blindagem.

Saiba como a direção do São Paulo avalia o trabalho de Diniz

Leia o post original por Perrone

A diretoria do São Paulo tem bancado a permanência de Fernando Diniz por avaliar que seu trabalho tem mais pontos positivos do que negativos. Mas, internamente, existe o reconhecimento de que se não houver uma evolução em relação aos últimos jogos, uma indesejável troca pode acontecer. Desempenho, resultado e perspectivas para o futuro definirão o que será feito.

Os cartolas esperam que Diniz faça, principalmente, ajustes no  sistema defensivo para reduzir o número de gols tomados. Essas correções atingiriam não só os defensores, mas a maneira como o time todo age para defender a própria meta quando está sem a bola.

O São Paulo levou pelo menos um gol em cada um de seus dez últimos jogos. Por outro lado,  o time só não balançou as redes em uma partida do Brasileirão até aqui. Foi na derrota por 3 a 0 para o Atlético-MG. Assim, os dirigentes entendem que, se Diniz arrumar a defesa, as chances de vencer serão grandes.

Já são sete jogos seguidos sem vitória. Foram cinco empates e duas derrotas. Em conversa com o blog, cartola são-paulino lembrou que no ano passado, sob o comando de Cuca, a equipe chegou a ficar oito partidas sem saber o que é vencer e com quatro derrotas nessas apresentações. E que depois obteve cinco triunfos seguidos. Isso justificaria a esperança de que Diniz recupere o time. O próximo jogo acontece nesta quarta (7) contra o Atlético-GO, no Morumbi.

Independentemente do que acontecer daqui para frente, a direção de futebol tricolor enxerga frutos no trabalho de Diniz.

Não é aplaudida só a efetividade do ataque. Um dos principais elogios é em relação a como ele trabalhou com jovens formados em Cotia, o que pode gerar, além de rendimento esportivo, boas receitas em futuras vendas no entendimento de chefes do técnico.

Não se trata apenas de dar oportunidades a eles. O treinador é elogiado por, na opinião da direção de futebol, saber escolher quem merece chance, lançar os meninos no momento certo e trabalhar bem na lapidação deles.

Os casos de Igor Gomes e Antony, que eram reservas e viraram titulares com Diniz, são usados como exemplos. Os trabalhos com Diego e Léo, que Diniz encontrou como lateral e levou para a zaga, também são valorizados.

O treinador são-paulino é visto como quem deixa um legado por onde passa. Mas que, neste momento, tem contra ele, além da fragilidade defensiva e da atual falta de vitórias, o peso das eliminações nas quartas de final do Paulista, diante do Mirassol, e na fase de grupos da Libertadores.

Protesto no CT explica como São Paulo construiu sua crise usando ídolos

Leia o post original por Perrone

O protesto de torcedores do São Paulo em frente ao CT do clube, neste sábado (3), ajuda a explicar como foi construída a crise do time do Morumbi.

As organizadas tricolores, em especial a Independente, fazem muita pressão quando entendem que devem fazer. Grande parte dos dirigentes teme a reação desses torcedores. Tanto que são constantes as tentativas de aproximação e pedidos atendidos.

Até aqui, nada diferente do que acontece na maioria dos grandes clubes brasileiros.

A diferença do tricolor é que a gestão Leco tomou muitas de suas decisões agradando ao torcedor, não só aquele que protesta no CT, mas também os que usam as redes sociais para se manifestarem.

Na opinião  deste blogueiro, o receio da torcida fez com que Leco adotasse medidas populares. Isso entregou cargos estratégicos a ídolos, aparentemente sem a reflexão sobre se existiam no mercado profissionais mais preparados. O mesmo aconteceu em relação à contratação de ídolos veteranos para jogar pelo time como se fossem reforços de primeira linha.

Rogério Ceni é um caso emblemático. Sua contratação como técnico deixou Leco com prestígio junto à torcida.

Mas não era preciso ser um gestor experiente para imaginar que Ceni precisava de um pouco de preparo e rodagem antes de encarar a difícil missão.

Ele poderia ter assumido outro cargo na comissão técnica ou na base para ganhar musculatura como treinador. Hoje, no Fortaleza, mostra amadurecimento e faz um bom trabalho.

A medida saborosa para a torcida gerou maus resultados e indisposição de torcedores e da diretoria com o ídolo. O time perdeu tempo em sua corrida para encerrar o jejum de títulos importantes. O último foi da Sul-Americana, em 2012.

Assim como aconteceu com Rogério, Raí e Lugano foram anunciados como dirigentes. As duas medidas amansaram a torcida, extremamente irritada.

Raí era inexperiente na função, mas seu currículo mostrava preparo. Não foi absurdo, mas, de novo, não havia ninguém mais indicado no mercado? O fato é que até agora Raí não conseguiu ajudar o São Paulo a dar uma nova volta olímpica.

Já Lugano saiu do campo para a diretoria numa posição inicialmente secundária. Difícil sustentar que não foi uma decisão principalmente para fazer um carinho nos torcedores.

No campo, tivemos as voltas de Hernanes e Pato, dois nomes que arrancaram aplausos dos fãs. Hernanes ainda é útil, porém, está ocupando a vaga de alguém que poderia render mais. Pato não justificou a contratação, o que já era esperado. Repetiu o futebol da maior parte de sua carreira.

Sua nova passagem pelo Morumbi, outra vez, fez o São Paulo perder tempo. O que era amor da torcida virou ódio e sua permanência  se tornou insustentável.

Além de fazerem o time não sair do lugar, todas essas tentativas frustradas com ídolos fazem a raiva da torcida voltar como um bumerangue. Só que com mais força porque a fila é maior e a coleção de fracassos aumentou.

Ou seja manter a frieza diante da braveza da torcida lá atrás, contratando os melhores profissionais que o clube pudesse pagar em vez de usar ídolos como calmantes para fãs seria mais eficiente na minha opinião. Administrar a instituição profissionalmente no lugar de agradar aos torcedores provavelmente reduziria a quantidade de protestos.