Arquivo da categoria: Seleção Brasileira

O estilo ‘Conversador’ do Tite me irrita, viu?

Leia o post original por Craque Neto 10

Podem me chamar de comentarista chato. Já estou acostumado com isso. Agora me perdoem, o estilo do Tite excessivamente conservador me irrita demais. Sério mesmo! É verdade que a Seleção Brasileira venceu o Uruguai por 2 a 0 e manteve o 100% de aproveitamento dos pontos. Sim, são quatro vitórias em quatro partidas. Ele merece […]

O post O estilo ‘Conversador’ do Tite me irrita, viu? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Seleção Brasileira perdeu totalmente a identidade

Leia o post original por Craque Neto 10

Fala garotinhos! Alguém por aí sabe que o Brasil enfrenta a Venezuela na noite desta sexta (13) no Morumbi em jogo válido pelas Eliminatórias da Copa de 2022? Tem que responder com sinceridade, hein? E a próxima partida? Contra quem e onde será? Ah, difícil não é? Pois é, ninguém sabe porque o Tite juntamente […]

O post Seleção Brasileira perdeu totalmente a identidade apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Seleção Brasileira perdeu totalmente a identidade

Leia o post original por Craque Neto 10

Fala garotinhos! Alguém por aí sabe que o Brasil enfrenta a Venezuela na noite desta sexta (13) no Morumbi em jogo válido pelas Eliminatórias da Copa de 2022? Tem que responder com sinceridade, hein? E a próxima partida? Contra quem e onde será? Ah, difícil não é? Pois é, ninguém sabe porque o Tite juntamente […]

O post Seleção Brasileira perdeu totalmente a identidade apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Sem identidade e cheio de esquisitice

Leia o post original por Craque Neto 10

Alguém por aí sabe que o Tite convocou a Seleção Brasileira na última semana? Relacionou os nomes dos atletas que jogarão os dois próximos jogos das Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar em 2022. O Brasil enfrenta a Venezuela no dia 13 de novembro, no Morumbi. Depois viaja ao Uruguai para jogar no […]

O post Sem identidade e cheio de esquisitice apareceu primeiro em Craque Neto 10.

CBF: jogo na TV Brasil foi por viabilidade, não para agradar ao governo

Leia o post original por Perrone

Nesta quarta (14), o blog publicou post opinativo comentando sobre a exibição do jogo contra o Peru na TV Brasil mostrar como a seleção  brasileira pode ser usada para empoderar cartolas da CBF. Isso porque o Governo Federal pediu que a partida passasse em TV aberta, e a entidade comprou os direitos cedendo-os à emissora pública. Apesar de ser uma opinião, este blogueiro recebeu à noite telefonema de integrante da confederação refutando argumentos apresentados no artigo.

A versão relatada é de que a CBF não negociou com o Governo Federal pela exibição do jogo e que o principal interesse da cúpula da entidade foi permitir que as pessoas pudessem assistir à seleção sem custos. Também foi negado que os dirigentes vão pedir favores ao governo em troca da transmissão da partida.

O blog não afirmou que isso vai acontecer, mas argumentou que dirigentes de clubes com dificuldades para serem ouvidos em Brasília podem recorrer a Rogério Caboclo, presidente da CBF, que recebeu abraços e agradecimentos do governo durante a transmissão.

A versão informada por membro da confederação dá conta de que a entidade tinha a informação, ainda na terça, de que Globo e SBT tentariam transmitir o jogo. Por volta das 17h, vendo que nenhuma negociação avançou, Caboclo acionou Edu Zebini, diretor de mídia da CBF, e pediu que ele tentasse negociar com a Mediapro, que comprou os direitos da partida junto à federação peruana.

A avaliação na CBF foi de que havia clima para negociar porque a empresa já realizou ação relacionada ao “Museu Seleção Brasileira” e tem interesse em direitos de transmissão de partidas da seleção.

Segundo a mesma fonte, a Mediapro disse que não venderia os direitos do jogo com o Peru se a CBF fizesse uma revenda ou os repassasse para uma emissora que comercializasse cotas de patrocínio, informações anteriormente publicadas pelo “Blog do Marcel Rizzo”. A explicação foi de que a empresa perderia credibilidade no mercado, se isso acontecesse.

Nesse ponto, a confederação entendeu que só a TV Brasil teria condições de cumprir essas exigências. Ela não vende cotas de patrocínio e poderia transmitir o jogo para todo o território nacional, pois já transmite a Série D do Brasileiro.

Zebini, então, ligou para representante da emissora pública, ligada ao poder executivo, para se certificar de que ela poderia viabilizar a transmissão. Com a resposta afirmativa, ele concluiu a negociação com a Mediapro.

A CBF não revela quanto pagou pelos direitos de transmissão do jogo, mas o comentário na entidade dá conta de que “não foi barato”. O relato ouvido pelo blog é de que o interesse em que o público tivesse uma alternativa para ver a partida sem ter que pagar para assistir pelo canal EI Plus e dar visibilidade a seus patrocinadores, especialmente a Nike, motivaram o investimento feito pela CBF.

Em relação ao comentário deste blogueiro sobre existirem interesses em jogo no futebol brasileiro que passam por Brasília, como MP do Mandante e repactuação das dívidas fiscais dos clubes, o mesmo integrante da confederação afirmou que são questões que não estão ligadas diretamente à CBF e que estão no Congresso Nacional, não nas mãos do executivo. E que não existe a possibilidade de a entidade pedir favores ao governo.

Outro ponto negado foi que a CBF possa usar eventual proximidade com o governo federal para manter uma relação de clientelismo junto aos clubes.

Após ouvir todos os argumentos, o blog entendeu ser justo publicá-los. Porém, mantém sua opinião de que a transmissão do jogo pela TV Brasil reforçou que a seleção pode ser usada para aumentar o cacife político  de dirigentes. Não é, no entanto, uma afirmação de que,  necessariamente, cartolas e governantes irão trocar favores.

 

Jogo na TV Brasil reforça como seleção pode ajudar a empoderar cartolas

Leia o post original por Perrone

A transmissão da vitória da seleção  brasileira por 4 a 2 sobre o Peru nesta terça (13) pela TV Brasil é o exemplo mais bem acabado de como o time pentacampeão mundial pode ser usado para dar cacife político aos comandantes da CBF.

Depois de pedido do Governo Federal pela exibição do jogo em TV pública, a confederação  comprou os direitos da partida e cedeu para a TV Brasil, que já transmite a Série D.

O investimento feito por Rogério Caboclo, presidente da CBF, certamente valeu pela gratidão do governo e consequente aproximacão com os governantes. Tanto que o dirigente e cartolas da CBF receberam abraços e agradecimentos da Secretaria de Comunicação do governo pela cessão dos direitos.

Num país em que cartolas vivem pedindo favores, especialmente repactuações  de dívidas fiscais ao Governo Federal,  o uso da seleção  para essa aproximação entre CBF e governantes é preocupante.

É natural imaginar que, depois dessa, cartolas com dificuldades para terem pedidos atendidos em Brasília recorram a Caboclo, aumentando seu poder político e, talvez, tornando clubes mais vulneráveis às vontades da CBF.

Há muitas questões  em jogo no futebol brasileiro neste momento tendo Brasília na rota. MP do Mandante, dívidas fiscais dos clubes e questões trabalhistas relacionadas a jogadores e agremiações. Isso deixa evidente como o gesto por meio da seleção foi importante para a CBF.

Há também o lado do governo, que ganhou o time de Tite para fazer a velha e má política do pão e circo, igualzinho aos tempos da ditadura militar.

Pelo meio do caminho, ficou o canal por assinatura  EI Plus, único  que tinha os direitos de transmissão da partida. Ou seja, o governo acabou, indiretamente, interferindo em questões comerciais privadas.

O movimento da CBF pode ter reflexos em diversas áreas do futebol brasileiro, por isso o favor feito por Caboclo para o governo merece atenção. Personagens que estejam do lado oposto da CBF em eventuais questões  que passem pelo executivo não terão a seleção nas mãos para se aproximar dos governantes. A isonomia pode ser ameaçada.

 

 

Por que o melhor jogador do País é esquecido pelo Tite na Seleção?

Leia o post original por Craque Neto 10

Esses dias o técnico Tite convocou a Seleção Brasileira para a estreia das Eliminatórias da Copa do Catar (será?) em 2022. Ele divulgou a lista com os 23 jogadores que disputarão as duas primeiras partidas na competição. A equipe estreia na disputa contra a Bolívia, no dia 9 de outubro, na Neo Química Arena, em […]

O post Por que o melhor jogador do País é esquecido pelo Tite na Seleção? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Opinião: Tite precisa mudar conceito para aproveitar bem trio do Flamengo

Leia o post original por Perrone

Tite só vai conseguir explorar todo o potencial do trio flamenguista que convocou para o início das Eliminatórias se der aos rubro-negros mais liberdade de movimentação do que costuma dar aos seus jogadores na seleção brasileira.

Na opinião deste blogueiro, o treinador deveria pensar seriamente em dar a titularidade para Gabigol, Bruno Henrique e Everton Ribeiro.

Porém, jogando juntos ou separadamente, os três funcionam melhor se deslocando constantemente por todos os lados do campo.

Por sua vez, Tite gosta que seus jogadores guardem posição para facilitar a recuperação da bola quando ela é perdida para os adversários.

Seria um enorme desperdício deixar Everton Ribeiro, Bruno Henrique e Gabigol confinados em determinadas faixas do campo. Foi o que aconteceu com Neymar na Copa da Rússia, por exemplo.

O trio flamenguista desorienta as defesas rivais  com seus deslocamentos completados por subidas dos volantes.

Não tenho a pretensão de sugerir que o técnico da seleção brasileira tente repetir o esquema tático do Flamengo. Mas ele pode adicionar uma pitada de tempero rubro-negro à sua receita.

Imagino o desespero que seria para os adversários ver, por exemplo, Bruno Henrique, Gabigol, Neymar e Everton Ribeiro trocando rapidamente de posições e preenchendo espaços. Isso com Arthur ou Bruno Guimarães chegando de trás.

Seria bem interessante, mas é preciso que Tite desapegue de sua rigidez tática. O fato de ter convocado o trio flamenguista pode ser um indício de que o treinador pensa em aproveitar a trinca como ela atua por seu clube. Fazer algo diferente disso seria mais complicado e arriscado pelo curto tempo que os três jogadores teriam para se adaptar a  um esquema mais engessado.

Atuação pela seleção sub-23 reaquece sondagens por Pedrinho

Leia o post original por Perrone

O desempenho de Pedrinho pela seleção sub-23, que disputa o pré-olímpico da Colômbia, reaqueceu o mercado para o jogador corintiano. O alvinegro voltou a receber sondagens da Europa pelo atleta.

Porém, nenhuma oferta oficial, por escrito, chegou até este momento, de acordo com o discurso interno da direção corintiana.

Conforme o blog apurou, um dos interessados no meia-atacante cogitou investir 25 milhões de euros (cerca de R$ 115,1 milhōes) na contratação. Os nomes dos pretendentes são mantidos em sigilo.

Pedrinho acertou verbalmente sua renovação de contrato, mas só irá assinar o documento após voltar do pré-olímpico. Apesar de o jogador receber aumento substancial, a multa continuará em 50 milhões de euros (por volta de R$ 230,2 milhões). O alvinegro tem 70% dos direitos econômicos.

A tendência é de que o Corinthians não aceite oferta pelo jogador antes de terminar a competição na Colômbia. Mas, a possibilidade de Pedrinho ser negociado em  seguida e nem voltar a atuar pelo clube é levada em consideração no Parque São Jorge.

O corintiano foi substituído na estreia da seleção brasileira no pré-olímpico na vitória por 1 a 0 sobre o Peru. No entanto, Pedrinho foi um dos destaques da vitória por 3 a 1 sobre o Uruguai. Ele marcou um dos gols.