Arquivo da categoria: Sidcley

Opinião: T. Nunes precisa errar menos em escalações para seu estilo vingar

Leia o post original por Perrone

É verdade que torcida e diretoria do Corinthians precisam ter paciência e dar tempo para Tiago Nunes implantar a profunda modificação proposta no estilo de jogo do time.

Porém, quem mais precisa colaborar com o projeto é o próprio treinador. Ele deve fazer isso deixando de errar tanto nas escalações.

Nunes faz um trabalho promissor, pois já desenhou um esquema interessante de jogo. Só que quanto mais ele errar ao escalar os titulares mais tempo levará para os resultados aparecerem.

O erro mais recente foi começar a partida com o Santo André, na última quarta, com Boselli na reserva.

Um dos principais problemas corintianos neste momento é acertar as finalizações. Contraditoriamente a isso, o técnico deixou o artilheiro alvinegro no banco. 

O argentino saiu do empate com o time do ABC em um gol, após entrar na etapa final e balançar as redes, como um dos artilheiros do Paulistão com cinco gols.

Antes do início da rodada deste final de semana, Boselli também divide com Daniel Alves a terceira posição no ranking dos jogadores que mais acertam finalizações em média por jogo no Estadual, segundo o site Footstats. A marca é de 1,6 arremate certo por apresentação.

Nunes preferiu começar a partida com Vágner Love no ataque. Sua média é de apenas 0,6 finalização certa por jogo. Yony González e Pedrinho, também escolhidos como titulares, ainda não acertaram conclusões nas três partidas que cada um fez no Paulista. Luan, outro titular diante do Santo André, tem média de 0,8 finalização certa por jogo.

Como sugeriam as estatísticas, não deu outra. O técnico precisou mexer na equipe, e o gol salvador foi marcado por Boselli.

Ao explicar sua escolha, Nunes disse que optou por uma formação com mais mobilidade, o que daria maior trabalho para os marcadores do Santo André.

Yony González é outro exemplo de erro do treinador corintiano ao escalar o time. Nunes admitiu isso ao dizer que atropelou a preparação do atacante antecipando sua estreia. Ele disse que o jogador precisava de mais tempo para se preparar, e assumiu a responsabilidade pelo fraco desempenho do comandado até aqui.

Na opinião deste blogueiro, o técnico já havia cometido erros nas escolhas de seus titulares antes. Principalmente nos dois confrontos contra o Guaraní do Paraguai pela fase classificatória na Libertadores.

Uma das falhas foi começar os jogos com Sidcley, visivelmente fora de forma, no lugar de Piton, que vinha sendo claramente superior.

Outra mancada foi escalar Pedrinho no jogo de volta sendo que ele não teve descanso depois de participar do Sul-americano sub-23 com a seleção brasileira. Além disso, o meia-atacante nunca havia jogado sob o comando de Nunes. Ele acabou expulso e prejudicou o Corinthians, eliminado pelo Guaraní.

No mesmo jogo, na opinião deste blogueiro, o comandante alvinegro errou ao demorar para colocar Janderson em campo.

Nesse cenário, Nunes desponta como o principal inimigo do tempo que ele precisa para fazer o time decolar.

Falhas em escalações tendem a provocar maus resultados e eliminações, o que gera descontentamento por parte de torcedores e diretores, além de críticas disparadas pela imprensa. No cruel futebol brasileiro essa é a receita perfeita para fazer o relógio andar mais rápido e tirar o fôlego de treinadores.

Opinião: seis problemas que o Corinthians precisa superar contra o Guaraní

Leia o post original por Perrone

Veja abaixo os principais problemas que o Corinthians precisa superar, na opinião deste blogueiro, para passar pelo Guaraní do Paraguai nesta quarta (12), em Itaquera, e avançar para a terceira fase classificatória da Libertadores.

1 – Lateral esquerda

Esse setor foi o mais falho do alvinegro na partida de ida. Fora de forma, Sidcley demorava para voltar à defesa quando o time perdia a bola. Os paraguaios aproveitaram bem os espaços dados por ele no ataque. O lateral também foi pouco eficiente no ataque.

Tiago Nunes pode escalar Lucas Piton na posição.  Em tese, se isso acontecer, há boa chance, de um desempenho melhor por ali.

Piton é o jogador do Corinthians que tem a terceira melhor média de desarmes certos no Paulista: 2,3 por jogo, segundo o site especializado em estatísticas Footstats. Isso, entre os atletas que atuaram mais de uma partida. A média de Sidcley é 1,5.

Ofensivamente, o lateral revelado no “terrão” ostenta a melhor marca de cruzamentos certos por jogo da equipe alvinegra: 2,5. Ele atuou quatro vezes no Estadual.

Sidcley não acertou nenhuma das suas cinco tentativas de cruzar a bola nas duas partidas que fez no campeonato.

2 – Cruzamentos do Guaraní

A  bola cruzada foi um dos pontos fortes do time paraguaio na vitória por 1 a 0 em sua casa. Desorganizada, a defesa corintiana se confundiu nesse tipo de lance. Atenção e organização nessas jogadas serão fundamentais para o Corinthians alcançar a classificação.

3 – Pontaria

Para avançar à próxima fase classificatória da Libertadores, o time paulista precisa vencer por pelo menos dois gols de diferença para não depender da disputa de pênaltis.

No Paraguai, os brasileiros só acertaram quatro de 19 finalizações, segundo o site da ESPN. O acerto foi de apenas cerca de 22% em relação às tentativas.

De acordo com o Footstats, o índice de precisão do Corinthians nas finalizações no Campeonato Paulista é de 47,8%, o que representa a melhor marca da competição. Mas, na derrota por 1 a 0 para a Inter de Limeira, no último domingo (9), o time de Tiago Nunes acertou apenas 25% das conclusões. O treinador corintiano  começou a partida poupando vários titulares.

4 – Contra-ataques

O Corinthians deve sofrer com o dilema clássico de equipes em sua situação: como atacar sem sem ficar vulnerável a contra-ataques. Para piorar a situação alvinegra, o Guaraní já mostrou ter velocidade para contra-atacar com eficiência.

5 – Queda de desempenho de Luan

Um dos desafios do técnico corintiano na partida desta quarta é fazer Luan recuperar o bom futebol.

Após um início animador, com gols e boa participação nas demais jogadas ofensivas, o ex-gremista caiu de produção.

O meia-atacante tem média de apenas 0,6 finalização certa por jogo no Paulista, um gol marcado em quatro jogos no Estadual e nenhuma assistência, segundo o Footstats.

6 – Decisões erradas

O desempenho ofensivo do Corinthians também tem sido atrapalhado por decisões erradas tomadas por seus atletas. Chutar para o gol no lugar de passar a bola para um companheiro bem colocado é um dos exemplos desse problema.

Em tese, a falha não é simples de ser corrigida. Além de treinamento é preciso uma boa movimentação dos jogadores para oferecer alternativas claras para quem está com a bola perto da área adversária.

Insistência com Sidcley é primeiro grande pecado de Nunes no Corinthians

Leia o post original por Perrone

Tiago Nunes já tem uma teimosia para chamar de sua como técnico do Corinthians, na opinião deste blogueiro. Trata-se da insistência com Sidcley.

Visivelmente, o lateral esquerdo ainda está fora de forma, por mais que o treinador diga o contrário.

Isso ficou evidenciado na derrota corintiana por 1 a 0 para o Guaraní, nesta quarta (5), pela segunda fase preliminar da Libertadores, no Paraguai.

Quando avançava, e o Corinthians perdia a bola, Sidcley não tinha fôlego para voltar com a velocidade necessária. Deixava espaços para os paraguaios.

No ataque, sua produtividade foi baixa. De novo, o lateral corintiano que mais participou do jogo no campo de ataque foi Fágner, pela direita.

Nunes demorou para enxergar o óbvio e custou a colocar Píton no lugar de Sidcley na etapa final.

Como era de se esperar, a revelação corintiana deu mais velocidade e mobilidade ao time. Ficou ainda mais difícil entender sua permanência no banco de reservas.

A justificativa de Nunes de que Sidcley precisa jogar para ganhar ritmo não se sustenta. A recuperação do lateral é mais importante do que o desempenho coletivo do Corinthians? O caminho não poderia ser inverso, com Sidcley entrando aos poucos para ganhar condição de jogo? As boas atuações de Piton não deveriam ser premiadas com a titularidade?

Na minha opinião as respostas são óbvias e deixam o técnico numa situação desconfortável.

Nunes deveria tentar responder a essas questões antes do confronto de volta com o Guaraní. Com a obrigação de vencer, o treinador não pode se dar  luxo de deixar quem está melhor na reserva.

Claro que Sidcley não foi o único responsável pela derrota no Paraguai. Luan, por exemplo, teve atuação apagada. Janderson não foi bem e Boselli não acertou a pontaria. Porém, a lateral direita é o ponto crítico alvinegro neste momento.

Está fácil de corrigir com Piton como titular. No entanto, se Nunes não repensar seus conceitos em relação à disputa na lateral esquerda, corre sério risco de amargar uma queda precoce na Libertadores.

Opinião: cinco fatores dificultam missão de Carille no Corinthians

Leia o post original por Perrone

A maior parte da torcida do Corinthians comemorou o anúncio da volta de Fábio Carille como um gigantesco reforço. Por seu currículo vencedor no alvinegro, o treinador tem praticamente o status de salvador da pátria. Porém, na opinião deste blogueiro, uma série de fatores torna a missão do técnico mais difícil em relação a seus feitos anteriores. Leia a seguir.

1 – Qualidade do elenco

Em seu retorno, Carille encontra um elenco de qualidade inferior ao que teve durante o maior tempo de sua passagem anterior pelo clube.

Do time que venceu o Palmeiras na final do Paulista de 2018, Balbuena, Sidicley, Rodriguinho e Maycon saíram e não foram substituídos no mesmo nível.

Claro que a diretoria pode trazer reforços de bom nível para a próxima temporada. O problema é a falta de dinheiro para isso.

2- Novidades

Um dos trunfos de Carille para conquistar dois estaduais e um Brasileirão foi conhecer a fundo o grupo de jogadores do clube. O domínio, inclusive das categorias de base, facilitou a remontagem da equipe para o início de 2018, por exemplo.

Neste momento, o elenco já tem nove jogadores novos em relação à última vez em que o treinador comandou o time. Hoje, esse número corresponde a mais de 25% do time.

Quase todas as caras novas são de atletas que não foram escolhidos por ele, pois o técnico já havia deixado o Corinthians quando essa leva foi contratada. Danilo Avelar é exceção. O lateral tinha sido indicado por Carille.

As primeiras contratações para 2019 (Gustavo Mosquito, Michel Macedo e André Luis) foram feitas antes de o retorno do treinador se concretizar.

3 – Base

Arana e Maycon são exemplos de como os jogadores vindos das categorias de base foram importantes na passagem anterior de Carille pelo clube.

No retorno, porém, ele deve ter dificuldades para garimpar jovens cem casa. As principais promessas dos últimos anos do popular “terrão” corintiano já foram negociadas ou estão no time principal (Pedrinho e Léo Santos).

No Parque São Jorge, quem conhece bem as categorias de base diz que a próxima safra não é animadora.

4 – Vendas

Carille corre o risco de perder jogadores antes mesmo de a próxima temporada começar. Com pouco dinheiro para contratar, o clube não deve recusar ofertas interessantes por seus atletas.

Pedrinho interessa ao Borussia Dortumund, da Alemanha. Há outros caras valorizados no grupo, principalmente Fágner e Cássio, que estiveram com a seleção brasileira na Copa da Rússia.

5 – Salário acima do teto

Indiscutivelmente, Carille é querido pela maior parte dos atletas que trabalharam com ele no clube. Porém, em tese, o fator financeiro, pode complicar a relação com alguns.

O treinador deve ganhar R$ 500 mil mensais, sem contar eventuais luvas. A quantia supera o teto salarial estipulado pela diretoria de R$ 400 mil. Jadson, por exemplo, aceitou reduzir seus ganhos para se enquadrar nessa política. A dúvida é como ele e outros profissionais que não puderam ganhar mais vão reagir ao salário superior do chefe.

O ÚLTIMO que sair APAGA a LUZ!!!

Leia o post original por Craque Neto

Fico inconformado como ainda tem gente que defende essa atual diretoria do Corinthians. Triste saber que o último presidente eleito teve que sair dentro de um carro com o rosto coberto como se fosse bandido. Ridículo! Mas fazer o que? Esse mesmo cara deixou o clube tão endividado – só do estádio são quase R$ 2 bilhões – que a boleirada está pulando fora aos poucos. Um verdadeiro DESMANCHE! Só da parada da Copa para cá já deixaram o clube três titulares: o zagueiro Balbuena (Tottenham), o volante Maycon (Shakthar ‘CBF’ Donetsk) e o lateral Sidcley (Dynamo de Kiev). A […]

O post O ÚLTIMO que sair APAGA a LUZ!!! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

CHEGA!!! Usar o Corinthians de PONTE é muita SACANAGEM!

Leia o post original por Craque Neto

Nunca foi novidade que a atual diretoria do Corinthians comete MUITOS desmandos que lesam o clube financeiramente. Nos últimos anos dá pra fazer uma lista que dá a volta ao mundo. A mais nova palhaçada está prestes a acontecer. O lateral Sidcley, recentemente trocado com o Atlético/PR pelo Camacho, está acertando sua transferência ao Dynamo de Kiev por 5 temporadas. Isso mesmo! Em pouco mais de 4 meses o cara já está vazando do Timão! É brincadeira? Se isso não é ‘ponte’ eu não sei mais o que é. Chega! Lembro que com o zagueiro Cléber foi a mesma coisa. […]

O post CHEGA!!! Usar o Corinthians de PONTE é muita SACANAGEM! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Timão dá show em provável despedida de Carille

Leia o post original por Craque Neto

A dificuldade do povo venezuelano é comovente. Por mais que tenha muita gente metida a socialista negando, realmente tem muita gente passando necessidade por lá. De qualquer forma tinha muita gente presente ao estádio Metropolitano em Capudare. E o Corinthians fez o certo! Não fez gracinha, nem ficou com dó do Deportivo Lara e partiu pra cima. Abriu 2 a 0 até com certa facilidade. Até porque a facilidade que o time do Carille tinha para entrar na defesa dos caras era impressionante. A todo instante Rodriguinho e Jadson apareciam na cara do gol. Rodriguinho, artilheiro do Timão na temporada […]

O post Timão dá show em provável despedida de Carille apareceu primeiro em Craque Neto 10.