Arquivo da categoria: Tolói

São Paulo vence e estabelece mais um recorde de público

Leia o post original por Fernando Sampaio

sp3x1coritibaO São Paulo venceu mas não convenceu.

O Coritiba deu mais trabalho que o esperado.

Apesar do placar, o Tricolor não teve o domínio do jogo.

Osório reconheceu na entrevista.

O treinador colombiano entrou com um time bastante ofensivo, escalou cinco que atacam muito e marcam pouco: Michel, Pato, Ganso, Luis Fabiano e Centurión. Coletivamente o Coritiba funcionou mais, individualmente o São Paulo decidiu o jogo. O placar só foi definido no último minuto, na última meia hora o jogo esteve indefinido.

Pato e Lucão foram os destaques na vitória.

O atacante fez dois. O zagueiro, além dos dois lançamentos nos dois primeiros gols, correu atrás de todo time do Coritiba junto com Tolói. A dupla de zaga hoje merecia bicho dobrado, principalmente no segundo tempo, quando correram e seguraram o resultado.

O jogo foi aberto.

O Coritiba teve a primeira oportunidade. Aos 8′ Marcos Aurélio bateu fora. O São Paulo não estava bem, não tinha posse de bola, estava ansioso, bem marcado, até que Lucão fez um belo lançamento, Pato dominou, levou na linha de fundo, cruzou e Centurión impedido abriu o placar.

Apesar do gol, o São Paulo não embalou. O Tricolor teve seu melhor momento a partir dos 39 minutos, quando Centurión fez o segundo gol, mal anulado. Desta vez o argentino não estava impedido. No último minuto, Lucão lançou, Pato marcou.

Ney Franco mexeu bem no intervalo. Colocou Negueba. Osório respondeu, colocou Matheus Reis. O garoto entrou mal, fez uma jogada maluca, precipitada, perdeu a bola e o time levou o gol pela lateral esquerda. Aos 15′ Negueba lançou, Ceni saiu, Marcos Aurélio chegou antes, driblou e diminuiu o placar.

O jogo pegou fogo.

Apesar da pressão o Coritiba não teve chances. Tolói e Lucão trabalharam dobrado. João Schimdt e Rodrigo Caio idem. Ganso saiu vaiado. Boschillia entrou, o time melhorou, Pato marcou e matou o jogo. No último lance Luis Fabiano dominou no peito, quando foi finalizar o árbitro apitou o final de jogo. Ridículo.

Arbitragem fraca.

O São Paulo colocou 59.612 pessoas no Morumbi. Este é o novo recorde do Brasileirão 2015. O público superou os 58.627 de São Paulo x Cruzeiro, recorde do Brasileirão em 2014. Mas o recorde na temporada continua sendo São Paulo x Cruzeiro pela Libertadores, com 66.214 pessoas.

Bom domingo.

Share This:

São Paulo perde jogo igual numa falha individual

Leia o post original por Fernando Sampaio

san-lorenzo-x-sao-paulo---ceni-e-lucao-lamentam-gol-sofrido_afpO São Paulo não jogou mal.

O resultado sim foi mau.

Foi um jogo igual, decidido numa falha individual.

Cauteruccio teve muito mérito, claro, mas o chapéu foi vacilo.

Tolói estava bem na partida, seguro, infelizmente falhou no lance decisivo.

O Tricolor enfrentou bem a greve argentina, chegou atrasado no estádio, ônibus só com dois batedores, não se afobou, fez o aquecimento tranquilo, sem pular etapas, entrou em campo focado, pilhado no nível ideal, sem afobação, esfriou o jogo, ditou o ritmo, administrou a pressão e levou o primeiro tempo numa boa.

O San Lorenzo não fez nada, mérito do São Paulo.

No segundo tempo o time argentino aumentou a velocidade, o jogo ficou aberto, Edgardo Bauza fez alterações para deixar sua equipe mais ofensiva e chegou mais próximo do gol adversário. O meio campo tricolor perdeu a marcação e a zaga ficou mais exposta. Em compensação o Tricolor ganhou mais espaço, e contou com a velocidade do Centurión.

Porém, o “Rildo argentino” corre, corre, corre mas não pensa.

Apesar de mais ofensivo, o San Lorenzo não conseguia criar oportunidades e Ceni continuou sem muito trabalho. O jogo caminhava para 0x0 até que numa jogada sem muita pretensão, Lucão foi obrigado a sair até o meio campo e cobrir Souza e Denilson, perdeu na cabeça, Tolói foi na cobertura, afobado, deu o bote, levou um chapéu totalmente evitável, Cauteruccio fez o golaço que decidiu a partida.

A derrota não elimina o São Paulo mas deixa o caminho bem difícil.

O San Lorenzo tem 3 pontos fáceis dos 6 a serem disputados, o São Paulo não.

 

 

Foto: AFP

Share This:

Dia de Palmeiras

Leia o post original por Rica Perrone

Não vou “gastar” parágrafos para registrar o óbvio. Que Tolói foi burro, que Ceni cometeu um erro, que isso muda tudo e que o Palmeiras “soube aproveitar”. Estarei cometendo um erro mais grotesco que o do Tolói se após uma épica vitória dessas eu olhasse o lado derrotado e tentasse explicar os “porques”, desmerecendo por […]

Ainda não!

Leia o post original por Rica Perrone

Por mais teimosa que seja a matemática, neste caso ela ainda sobrevive sobre a praticidade dos fatos. O São Paulo venceu o Palmeiras e negou ao Cruzeiro o título, ao Verdão o alívio. Uma atuação de força e oportunismo. Sendo pressionado no segundo tempo mas com uma diferença de qualidade técnica entre os dois times que […]