Arquivo da categoria: trujillo

Calleri estréia bem. É o novo nome do gol, é o pé que balança a rede do tricolor

Leia o post original por Quartarollo

Jonathan Calleri veio com fama de artilheiro e confirmou já na primeira vez no São Paulo F.C.

Entrou no segundo tempo e empatou o jogo com o fraco César Vallejo, em Trujillo, no Peru, 1 x 1.

Colocou o tricolor de volta na disputa, se bem que a derrota por 1 x 0 também não seria irreversível para a quarta-feira de cinzas, no Pacaembu, porque o Morumbi está em obras.

Calleri mostrou que é do ramo ao dominar uma bola que no começo da jogada era mais do zagueiro que dele, e além de tirar bem o defensor, teve clarividência ao tocar por cima do goleiro. Coisa de atacante que sabe o que faz dentro da área.

Tomara continue assim. É o novo nome do gol, é o pé que balança a rede no São Paulo. Encantou na estréia, vamos ver a sequência agora.

Bauza estava precisando de uma referência como essa e quem deve dançar no time titular é Alan Kardec que é mais segundo que primeiro atacante.

A favor de Kardec, além de ser querido no elenco e ter bom futebol, ontem enquanto esteve em campo ajudou bastante e até fez um gol no primeiro tempo, mal anulado pelo árbitro Roddy Zambrano, do Equador, que pareceu um pouco perdido em campo.

É aquela situação que o tira-teima pode ajudar, mas como exigir que na pequena Trujillo, num estádio acanhado como aquele tenha tanta parafernália eletrônica para ajudar o árbitro.

Nessa hora vai no olhômetro mesmo e sendo justo também, era mais lance do bandeira do que do árbitro.

Para mim o São Paulo não terá nenhuma dificuldade em vencer o César Vallejo na volta e se classificar para integrar o Grupo 1 ao lado de River Plate, atual campeão; The Strongest, da Bolívia, e Trujillanos, da Venezuela.

Primeiro jogo na fase de grupos está marcado para o dia 17 próximo e se o São Paulo confirmar passagem enfrentará o Strongest, aqui na capital paulista.

Ah, o César Vallejo não conseguiu ser o Tolima do São Paulo. Assustou um pouquinho com um golaço no primeiro tempo e depois só não perdeu porque as traves, a arbitragem e o goleiro Libman não deixaram.

São Paulo merecia ter vencido e liquidado a fatura já no jogo de ida.