Arquivo da categoria: Vila Belmiro

Será que Sampaoli é tudo isso mesmo?

Leia o post original por Nilson Cesar

Costumamos aqui no Brasil endeusar determinados caras e tornam-se mitos. O técnico do Santos acho mais milonga do que competência. Quando o cara vem com a conversa de que o meu estilo de jogo é esse e ponto final, eu começo a desconfiar. O goleiro Vanderlei é um grande valor do time de Vila Belmiro . O treinador parece que quer colocá-lo na reserva. O motivo é que ele teria dificuldades de sair jogando com os pés. Acho isso uma grande besteira. Você dirigir uma equipe só com craques , facilita bastante o trabalho do treinador. Técnico bom na minha opinião é aquele que consegue montar um bom time com um elenco apenas razoável. Técnico bom também precisa saber gerir um grupo de pessoas e se tornar querido. Acho que essa não é uma das virtudes de Sampaoli. Vamos aguardar, mas acho Sampaoli mais milonga do que competência .

Jogo vale a liderança

Leia o post original por Odir Cunha


Em Cusco, no Peru, foi assim. O Santos dará o troco na Vila Belmiro?

Todas as áreas do Santos mostram evolução desde a entrada da nova gestão, com a exceção da mais importante para o torcedor, que é a performance do time de futebol masculino. Sei muito bem que não adianta equalizar as dívidas, aumentar o número de sócios, de embaixadas e escolinhas Meninos da Vila, crescer os valores do patrocínio e a visibilidade na tevê, se o time não render o esperado. Santistas são exigentes e isso faz parte de nossa cultura. Mas, às vezes, precisamos nos dedicar mais ao clube antes de sair por aí criticando tudo e todos.

A partida contra o venezuelano Real Garcilaso, nesta quinta-feira, às 19h15, na Vila Belmiro, vale a liderança do Grupo F da Libertadores, o que dará alguma vantagem para o Santos nas fases seguintes da competição. É a grande oportunidade de mostrar a nós mesmos que, acima de tudo, continuamos amando o Santos e queremos ver o seu sucesso.

A hora é de empurrar o Glorioso Alvinegro Praiano. No jogo de ida o time de Cusco, no Peru, mais acostumado ao ar rarefeito da altitude, venceu por 2 a 0. Vamos ver como eles se saem ao nível do mar. Garanto que o jogo será muito mais equilibrado, com maiores possibilidades de uma vitória santista.

Nossos jogadores, nosso técnico e nossa comissão técnica têm todo o apoio para desenvolver o melhor trabalho pelo Santos e estou confiante de que farão isso nessa quinta-feira. Quanto ao meia que todos pedem, e com razão, posso dizer que ele virá, e será dos melhores.

Acreditemos e empurremos o Santos para mais uma importante vitória! Quero ver todos vocês na Vila Belmiro. Ao menos os que moram mais perto de Santos. O lugar para se ouvir o grito do torcedor é no estádio, não pelo teclado frio e mudo do computador. Até lá!

Posso contar com a sua presença?


Prioridades

Leia o post original por Odir Cunha

Na campanha que o levou ao vice-campeonato brasileiro de 2007, o Santos fez um jogo emocionante contra o Paraná, em Curitiba. Reveja os melhores lances:

Uma bela surpresa aos jogadores e ao técnico do Santos

Na festa de lançamento da Embaixada do Santos na área metropolitana de Campinas, ontem, em conversa com alguns santistas falei da necessidade urgente de o clube quitar nova dívida de 2,5 milhões de euros, ou 10 milhões de reais, desta vez pelo passe do zagueiro Cléber, que já veio do Hamburgo com problemas no joelho, e comentei que para o torcedor mais vale uma vitória contra um rival do que saldar uma dívida de 10, 20 milhões de reais. Todos concordaram.

Essa ansiedade de ver o time vencer, sempre, é que faz o torcedor pressionar a direção do clube para contratar jogadores às pressas. Essa é uma fórmula que aumenta enormemente as despesas e raramente melhora a eficácia. Nas histórias das grandes crises do futebol brasileiro há sempre um número imenso de contratações. Digo isso para aconselhar que saibamos esperar até julho, quando a janela estrangeira se abrirá e o Santos poderá contratar, no mínimo, três bons reforços.

“É claro que adoro contratar e como gostaria de sair por aí trazendo grandes jogadores”, disse o presidente a mim e a outros colegas de diretoria em uma conversa informal, na sexta-feira. Porém, os papagaios da gestão anterior continuam a ser revelados pela auditoria e alguns deles, como a dívida com o Hamburgo, não podem esperar. Por enquanto, teremos de lutar em campo com o que temos.

Porém, mesmo sem esses reforços, não se pode dizer que o Santos seja um time fraco. A defesa é a mesma dos últimos anos; o ataque perdeu Ricardo Oliveira, mas ganhou novos valores, como Sasha e Rodrygo, além da volta de Gabriel. No meio, Lucas Lima era uma referência, mas já não estava se esforçando devidamente. Assim, a equipe deve ser considerada favorita no jogo deste domingo, às 19 horas, contra o Paraná, na Vila Belmiro. Mas não acredito em uma partida tão fácil como sugerem alguns santistas.

O Paraná foi valente contra a Chapecoense, fora de casa, e seu gol de empate acabou livrando o Santos de entrar na zona de rebaixamento. Hoje ele tem bons motivos de lutar pela vitória, pois este resultado o faria ultrapassar o Santos, pulando para quatro pontos ganhos. É importante que o Santos entre motivado, mas ao mesmo tempo precavido.

Acredito em uma boa vitória do Santos, pois o ataque é muito bom e em casa o Alvinegro toma a iniciativa dos jogos, pressionando o adversário, que recua naturalmente. Enfim, creio que teremos uma noite de Dia das Mães (parabéns mamães!) alegre e tranquila. Porém, nossas maiores vitórias, nesse início de gestão, estão sendo no decantado fluxo de caixa.

E você, o que acha disso?


Sorte, Azar ou Trabalho?

Leia o post original por Odir Cunha


Você pode achar que o Santos está com um pouco de azar, pois justo quando teria Bruno Henrique de volta ao ataque, este se machuca e o mesmo ocorre com Sasha.

Mas você também pode achar que o Santos está com sorte, pois mesmo quando não tem alguns titulares consegue se sair bem, como na convincente vitória por 2 a 0 sobre o Estudiantes.

Poém, se você analisar bem, verá que mais do que sorte ou azar, o que importa mesmo é o bom trabalho da comissão técnica e dos jogadores – veja que alguns deles parecem viver a melhor fase de suas carreiras.

Hoje o Santos treina mais, estuda mais, trabalha mais, é mais profissional. Só isso não garante vitórias e títulos, mas aumenta muito as chances de que isso ocorra. Apoie o seu, o nosso Santos e não se arrependerá. Vá aos jogos, fique sócio, vamos jogar com o time!

Clique aqui para saber como ficar sócio do Santos.

O que você pensa sobre isso?


Jogo será o de nº 6.000

Leia o post original por Odir Cunha


Em Ribeirão o Santos criou chances, mas não fez. Quarta é na Vila. Compareça!


Jogo contra o Botafogo será o de número 6.000

Amigos e amigas, há mais um motivo para ir à Vila Belmiro quarta-feira, às 19h30, empurrar o Santos contra o Botafogo de Ribeirão Preto, pelas quartas de final do Campeonato Paulista: o jogo será o de número 6.000 da história do Santos. O levantamento foi feito pelo departamento de Memória e Estatística do Santos, capitaneado por Guilherme Gomez Guarche.

Confia os jogos milenares do Glorioso Alvinegro Praiano:

Jogo número 1

Dia – 15/09/1912

Santos FC 3×2 Santos AC

Avenida Ana Costa. 22 – Santos

Amistoso

SFC: Julien Fauvel; Sidnei e Arantes; Ernani, Oscar e Montenegro; Millon, Hugo, Nilo, Simon e Arnaldo Silveira.

SAC: Parsons; Kent e Deweck; Wood, Seddon e Lee; Saul, De Saone, Allen, V. Cross e H. Cross.

G: Arnaldo Silveira (2) e Adolpho Millon – Lee (2)

Jogo nº 1.000

Dia – 11/10/1947

Santos FC 1×2 Portuguesa de Desportos

Pacaembu – São Paulo

Campeonato Paulista

R: Cr$ 46.211,60

A: Vicente Gengo

SFC: Renê; Artigas e Expedito; Nenê, Alfredo e Castanheira; Odair, Zeferino, Adolfrises, Antoninho e Rubens.

Técnico: Abel Picabéa

APD: Caxambu; Lorico e Nino; Laudelino, Luisinho e Helio; Simão, Pinga II, Nininho, Pinga I e Reginaldo.

Técnico: Jim Lopes

G: Antoninho – Simão e Nininho

Jogo nº 2.000

Dia – 25/05/1963

Santos FC 1×1 FK Partizan (SER) Fudbalski klub Partizan

La Meinau – Strasburg

Amistoso

SFC: Gilmar (Laércio); Dalmo, Mauro e Geraldino (Lima); Zito e Haroldo; Dorval (Batista), Mengálvio, Coutinho, Pagão (Nenê) e Pepe.

Técnico: Luiz Alonso Perez, Lula

FKP: Soskic; Jusufi, Sombolac e Vukelio; Vasovic e Sijakovic; Rudiwski, Kovscevic, Hasnagio, Galic e Skoblar.

G: Coutinho – Haswagi

Jogo nª 3.000

Dia – 07/03/1976

Santos FC 0x1 EC São Bento

Estádio Urbano Caldeira

Campeonato Paulista

R: Cr$ 55.110,00 – P: 3.977

A: Pedro Inácio Filho

SFC: Willians, Tuca, Marçal, Bianchi, Fernando (Zé Carlos), Clodoaldo, Leo Oliveira, Didi, Cláudio Adão, Toinzinho e Mazinho (Babá).

Técnico: Olavo

ECSB: Geninho; Chiru, Laércio, Arlindo e Nelsinho; Benetti e Gatãozinho; Cláudio, Alves, Tuim (Adão) e Bozó.

G: Adão

Jogo nº 4.000

Dia – 07/07/1989

Santos FC 4×0 Videira EC

Luis Keone – Videira

Amistoso

R: NCz$ 15.000,00 – P: 3000

A: Antonio Carlos Ceron

SFC: Sérgio (Pelegrine); Heraldo, Cássio, Luiz Carlos e Éder José; César Sampaio, César Ferreira (Axel) e Sócrates (Luís Cláudio); Juary (Nenê), Roberto Cearense e Totonho.

Técnico: Nicanor de Carvalho

VEC: Megasso (Alemão); Melão, Gena, Silvério e Sérgio (Rivelino); Milico, Toninho e Fusca; Dalla, Servílio (Alberto) e Lúcio (Osmar).

G: Melão (contra), Juary, Roberto Cearense e Cesar Sampaio

Jogo nº 5.000

Dia – 21/04/2004

Santos Futebol Clube 2

Paraná Clube 3

Pinheirão – Curitiba/PR – Campeonato Brasileiro

R: R$ 90.840 – P: 7.323

CV: André Luis (SFC)

SFC: Júlio Sérgio; Paulo César (Basílio), Alex, André Luis e Léo; Claiton, Renato, Elano (Alcides) e Diego; Robinho e Leandro Machado (Lopes). Técnico: Emerson Leão.

PC: Flávio; Cláudio, Nelinho, Carlinhos e Wesley; Axel, Beto, Jean Carlo e Fernando (Fernando Lombardi); Adriano (Goiano) e Galvão (Choquito). Técnico: Paulo Campos.

G: Léo e Robinho – Galvão, Carlinhos e Choquito.

Jogo nº 6.000

Dia 21/03/2018

Santos Futebol Clube

Botafogo FC

Vila Belmiro – Santos – SP – Campeonato Paulista

Vamos lotar a Vila: Venda de ingressos para partida contra o Botafogo pelo Paulistão

Clique aqui para ficar sócio do Santos

Giovana prega respeito ao São José, adversário na estreia do Paulistão, mas avisa: “Estamos prontas”


Esse jogo tem história

Leia o post original por Odir Cunha

Contra o Santo André o Santos foi campeão paulista em 2010 e Neymar fez um de seus gols mais bonitos, este no campo adversário. É um jogo sempre interessante e neste domingo, às 19h30, na Vila Belmiro, será a grande atração do Campeonato Paulista.

Algo me diz que o técnico Jair Ventura poderá algumas surpresas, como a entrada do garoto Diogo Vitor, um meia que o Santos cultiva há oito anos. Acompanhe o jogo e fique à vontade para deixar suas impressões sobre a partida neste espaço.

Clique aqui para se tornar sócio do Santos


Arrancada final

Leia o post original por Odir Cunha

Hoje, às 14 horas, inauguração do Comitê 2 em Santos.
Compareça!

Logo mais, a partir das 14 horas deste sábado, José Carlos Peres, Orlando Rollo e eu estaremos recebendo os amigos, apoiadores e simpatizantes na inauguração do Comitê II da chapa Somos todos Santos. Quem acredita nas nossas ideias e na nossa disposição para colocar o Santos nos trilhos, será bem-vindo. O endereço é Avenida Frederico Machado, 301, Vila Belmiro, ao lado do estádio. Vai rolar um chopinho, muito bate-papo e novamente discutiremos boas ideias para o futuro do nosso Santos.

Eneacampeão, por que não?

Por Guilherme dos Santos

Procuro sempre escrever pensando em todas as possibilidades, racionalmente e sem ilusões ou fantasias. E por que o Santos não pode ser eneacampeão?

Primeiramente é fundamental analisar o nível lamentavelmente baixo do nosso campeonato, onde os times todos são parelhos, tendo grandes nomes ou não, pois em campo entram 11 jogadores para cada lado, e ali dentro de 90 minutos tem levado a melhor aqueles que realmente desejam ganhar, com vontade e dedicação. Ah, mas os times estão levando a melhor porque vem fechado lá atrás e só joga no contra ataque… Meu caro, para marcar uma equipe 90 minutos também exige muito de um jogador, ou seja, os times são pouco criativos e erráticos.

Dessa forma, acredito sim no potencial dessa equipe do Santos, que num tempo não tão distante já fizeram grandes partidas e vestiram com sabedoria nossa camisa. Estão precisando de confiança. Cadê aquelas triangulações nas laterais, que mesmo o adversário sabendo, não conseguia parar? Cadê aquela pressão na frente com o time todo avançando e ganhando as chamadas segunda bola, onde saía muitos gols? Com o Elano, eu confio que muito dessa confiança possa voltar a aparecer.

Na época elogiei a contratação do Levir, mas mesmo com números bons, ele não soube treinar a equipe e dar um padrão de jogo efetivo. Não se pode sacrificar dois atacantes como Bruno Henrique e Copete para ficar marcando lateral. Acabou sendo um retrocesso num campeonato que já poderíamos estar na ponta e com folga. Tarde demais para ter trocado? Teremos mais 7 rodadas para descobrir.

E são nessas 7 partidas que me inspirei a escrever. Num olhar otimista, lembrei-me do campeonato brasileiro de 2004, quando o então técnico Vanderlei Luxemburgo traçou uma meta de vencer 7 partidas seguidas para assumir a liderança do campeonato ainda no primeiro turno. Por que não traçar 7 vitórias nessa reta final de campeonato? Como o próprio Odir analisou os jogos no blog, eu concordo e acho possíveis as vitórias. Mas, a começar pelos jogadores e comissão técnica até os torcedores, todos precisamos acreditar e querer muito mais do que os outros. Nesse nível de campeonato, mais do que talento e técnica, garra, força de vontade e superação também ganham títulos.

Eu ainda confio sim que esse grupo de jogadores pode fazer coisas boas. Vanderlei, David Braz, Lucas Veríssimo, Alison, Jean Mota, Bruno Henrique, Ricardo Oliveira, já é uma boa espinha de um time. No mérito Lucas Lima, ele pode sim fazer a diferença claramente porque qualidade tem de sobra. Precisamos saber até onde ele realmente está focado nessas rodadas finais ou no próximo contrato. Acredito que boa parte dos jogos, o esquema tático que tínhamos não ajudava o seu futebol, assim como o de outros jogadores, mas também já senti por algumas vezes certa displicência. Posso estar enganado, por que não?

Comissão técnica: é hora de juntar os cacos e tentar passar a confiança necessária e unir todos num só objetivo. Jogadores: são vocês que podem trazer esse título histórico, seus maiores fãs estão em vossas casas esperando por isso. Torcedores: tem que apoiar, tem que estar junto, se abraçar só quando tudo está bem é muito fácil. Quando vem a dificuldade, temos que nos empenhar ainda mais. Já a diretoria, eu espero ansiosamente pelo pleito dia 09/12 para derrubá-los.

E você, acredita no eneacampeonato?


Futuro X Passado

Leia o post original por Odir Cunha

image Nesta “piscina” ficava uma das torres gêmeas

Hoje, dia em que o Santos joga sua esperança no Campeonato Brasileiro contra a sempre respeitável Ponte Preta, vou à Ilha Randal, aqui em Nova York, em busca do estádio em que o Santos venceu o Benfica 4 a 0 e, apenas um mês depois da Copa da Inglaterra, vingou o futebol brasileiro que havia sido derrotado e humilhado pela Seleção Portuguesa de Eusébio.

Faltam apenas dois dias para se encerrar a campanha de pré-financiamento coletivo do livro único “Santos FC, o maior espetáculo da Terra”, obra que tive o prazer e a honra de fazer com Marcelo Fernandes, e este será o meu último vídeo para a campanha. Espero que ajude a Editora Onze Cultural a arrecadar o suficiente para imprimir ao menos 1.500 exemplares.

Mas a veneração pelo passado não deve significar ojeriza pelo futuro, ao contrário. Das conquistas e lições vividas vêm à determinação de se construir novos tempos. O Santos não pode se esquecer de sua grandeza e sua missão no futebol, sob o risco de se tornar um eterno coadjuvante de um espetáculo do qual foi o grande astro.

Da desgraça absoluta que foi a destruição das torres gêmeas resultou um memorial visitado diariamente por milhares de pessoas de todas os idiomas do mundo. Novas construções foram erguidas no espaço ocupado pelo World Trade Center, mas duas piscinas ocupam os lugares em que ficavam os alicerces das duas torres, em monumentos que se tornam mais belos e reflexivos à noite.

Identifico-me com essa capacidade de transformar limão em limonada, pois sem ela não conseguiremos promover os muitos renascimentos que a vida nos propõe.

Hoje a velha Vila Belmiro completa 101 anos e não deve ser coincidência que seja também o Dia Da Criança. Nós, santistas, somos velhos-meninos, ou meninos-velhos, estamos sempre navegando entre o passado e o presente, às vezes sem saber ao certo em que direção seguir.

Não podemos, porém, cair na armadilha de recorrer eternamente a velhos ídolos e velhas fórmulas que já não funcionam mais. O Santos que vingou o futebol brasileiro em 1966 tem uma dimensão que não pode ser destruída. Honremos o passado, mas saibamos construir um futuro com ousadia, transparência e profissionalismo. Afinal, velhos ou meninos, Somos todos Santos.


Santos, que vacilo!

Leia o post original por Antero Greco

Perder faz parte do jogo. Ser eliminado é chato, mas acontece. Cair em casa aborrece muito mais, porém é da vida. Mas perder e ser desclassificado no próprio campo sem jogar nada, é doloroso, constrangedor, vergonhoso. Pois foi o que aconteceu com o Santos.

Invicto até o segundo duelo com o Barcelona, na noite desta quarta-feira, o time paulista viu ruir o sonho de continuar no caminho do tetra da Libertadores da América. Recebeu o rival equatoriano com a vantagem de ter feito 1 a 0, em Guayaquil, não soube sustentar a vantagem (0 a 0 lhe dava a vaga), e saiu do gramado da Vila Belmiro com as mãos vazias.

O problema não se limitou a permitir que a classificação para a semifinal escapulisse. Se ao menos tivesse sido na base da luta, da emoção, da pressão e até da correria, vá lá. O ponto foi um só, direto e certeiro: do início ao fim, a turma de Levir Culpi mostrou futebol de bola furada. Nem parecia o mandante, nem fez o público e o adversário lembrarem do peso da camisa. Foi tímido, encolhido, apático. Teve sangue de barata.

O Santos não foi desleixado, no sentido de menosprezar o Barcelona. Não jogou com salto alto, tampouco considerou que a tarefa estava liquidada. Não foi isso. O pecado ficou na ausência de criatividade, na falta de apetite para atacar, na passividade. E na presunção de que encontraria espaço para contragolpe.

A equipe visitante seguiu o roteiro que lhe cabia: arriscou-se, finalizou muito mais, tentou a sorte, pois não tinha alternativa. Ou marcava ou morria. Expôs-se, teve valentia, mesmo que em muitos momentos com pouca técnica. E o Santos? Ficou perplexo, catatônico.

Só acordou depois de levar o gol de Jonatan Alvez aos 23 minutos do segundo tempo. (Em seguida, foi expulso por falta.) Daí, resolveu ir à frente de qualquer maneira, no desespero, sem coordenação. Para complicar, perdeu Bruno Henrique, que cuspiu em Damián Diaz. O zagueiro Gabriel Marques revidou com um tapa no brasileiro e também tomou vermelho.

O Santos não tem um timaço, talvez fosse brecado pelo Grêmio na semifinal. Mas poderia ter saído de cena com mais altivez. Não vale nem a desculpa de que sentiu as baixas de Lucas Lima, Renato e Victor Ferraz. Faltou, de verdade, jogar bola.

Tremendo vacilo.

Com a alma em campo

Leia o post original por Odir Cunha

Tenho recebido mensagens preocupadas, algumas até revoltadas, de santistas falando do jogo contra o Barcelona de Guayaquil. Uma delas, de Curitiba, diz: “Como pode o Santos só usar reservas contra o Botafogo e ainda jogar desfalcado na Libertadores?”. Outra, de Campinas, acusa: “Se não tivesse contratado tão mal, o time não dependeria tanto do Lucas Lima”. Outra, ainda, de Santos, analisa: “Moro do lado da Vila Belmiro, mas este era jogo para o Morumbi”. Enfim, a preocupação está no ar. Porém, não é hora de descrença ou de críticas, mas sim de união em torno da equipe e de apoio para que consiga superar o difícil adversário dessa quarta-feira.

Jogos da Copa Libertadores não são definidos apenas pela técnica, pelo toquinho, pelas jogadas bonitas. É preciso ter raça, é preciso colocar a alma em campo. E se por um lado o Santos não terá Lucas Lima, e provavelmente também jogará sem a experiência de Renato, a presença de Vecchio está garantida. Pelas enormes ironias do futebol, justo o argentino renegado por Dorival Junior volta ao time com a responsabilidade de comandar o time nessa jornada decisiva.

O caminho até o quarto título da Libertadores sempre difícil, mas algo me diz que superar o aguerrido time equatoriano dará ao Santos e energia e o fôlego necessários para buscar a taça. A todos que falam de desfalques lembro as finais contra o Milan, em 1963, em que o Alvinegro Praiano jogou as duas partidas no Maracanã sem o xerife Calvet, o líder Zito e o incomparável Pelé. Então, acreditemos.

Somos todos Santos

Enfim, chegou o momento de anunciarmos a chapa Somos todos Santos, encabeçada por José Carlos Peres, Orlando Rollo e por mim. O anúncio ocorrerá nessa quinta-feira, no Museu do Futebol, no estádio do Pacaembu. Na oportunidade falaremos de nossas propostas, resumidas em um conjunto de 11 pontos principais.

Você é nosso convidado(a) para esse evento importante para o futuro do Santos. Confirme sua presença com a Mariana, pelo telefone (13) 99136-3264 e venha viver conosco esse momento que pode ser decisivo na história do clube. Estarei lhe esperando de braços abertos.

cartaz - anuncio chapa

Felizmente a Kickante entendeu a importância do livro “Santos FC, o maior espetáculo da Terra” e nos deu mais um mês de campanha de pré-financiamento para lançar esta que é uma das obras mais importantes da história do Santos e do futebol. Agora faltam 26 dias para o encerramento do prazo final. Se você ainda não participou, participe.

Da meta de R$ 48 mil, suficiente para cobrir os custos gráficos da impressão de dois mil exemplares, estamos na metade. Há muitas formas de recompensa para quem participar da campanha. Desde doar 10 reais, até comprar uma cota de patrocínio por 15 mil reais, que dá direito a 100 exemplares, 30 convites para a festa de lançamento, ter o logotipo da empresa impresso no livro e ser divulgado pela assessoria de imprensa.

O livro se baseia na ampla pesquisa de Marcelo Fernandes, um santista que mora em Luxemburgo, e em alguma pesquisa e texto meus. Só digo uma coisa e depois me cobrem: quem não participar, vai se arrepender. Esse livro ficará marcado na história do Santos e da literatura mundial do futebol.

Clique aqui para garantir o seu exemplar e ajudar no lançamento do livro único SANTOS FC, O MAIOR ESPETÁCULO DA TERRA.

No meu aniversário, quem ganha o presente é você

Setembro é mês do meu aniversário e resolvi comemorar com os frequentadores deste espaço promovendo uma oferta inédita das obras expostas na Livraria do Blog.

time-dossie ok

Para atender aos pedidos dos santistas das embaixadas e demais grupos de torcedores espalhados pelo País, criei preços especiais também para a compra de três, quatro e cinco exemplares, tanto do Dossiê de Unificação dos Títulos Brasileiros a partir de 1959, como do Time dos Sonhos.

Neste mês, três exemplares desses dois livros sairão por 75 reais, quatro por 85 e cinco por 95 reais. E todos os pedidos com frete grátis e dedicatórias exclusivas. Faça as contas e veja que não dá para perder. É a oportunidade de presentear os amigos ou já guardar para o Natal.

E caso alguém queira uma quantidade maior do que cinco exemplares, é só enviar e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br que estudaremos as melhores condições possíveis. O interesse, como sempre, é ver o santista e conhecendo a rica história do clube, elemento fundamental no fortalecimento da marca Santos.

Clique aqui para entrar na Livraria do Blog e conferir todas as ofertas

Todos os PDFs a R$ 1,00

O sistema da loja do blog não permite que se distribua livros sem nenhum pagamento. Então, coloquei o preço de todos os PDFs a apenas um real. Isso mesmo. Qualquer PDF, neste mês de setembro, custará apenas um real.
Comprar com cartão, de débito ou crédito, é totalmente confiável pelo sistema do PagSeguro, mas se quiser pode escolher por boleto ou mesmo fazer depósito bancário (nesse último caso, informe-se pelo e-mail blogdoodir@blogdoodir.com.br

Dentre os PFDs, há quatro livros que falam do Alvinegro Praiano

– Donos da Terra, a história do primeiro título mundial do Santos
Clique aqui para comprar Donos da Terra
– Na Raça!, a história do primeiro clube bicampeão mundial
Clique aqui para comprar Na Raça!
– Ser Santista, um orgulho que nem todos podem ter – Artigos selecionados que mostram várias aspectos da grandeza santista
Clique aqui para comprar Ser Santista
– Pedrinho escolheu um time – A aventura de um garoto paulistano que quer escolher um time para torcer.
Clique aqui para comprar Pedrinho escolheu um time

Há mais três histórias infanto-juvenis

– Pedrinho no Descobrimento do Brasil – Um buraco no tempo leva Pedrinho ao momento em que o Brasil está sendo descoberto pela esquadra de Cabral. Para crianças e adolescentes que gostam de História.
Clique aqui para comprar Pedrinho no Descobrimento do Brasil
– O Diário de Kimmy, uma garota inuit – O dia a dia de uma menina que vive no Alasca, entre as tradições de seu povo e os perigos dos tempos atuais.
Clique aqui para comprar O Diário de Kimmy
O Reino do Pum – A caso insólito do pobre e mal cheiroso reino onde viviam o pequeno Sidney e seu avó Felisberto.
Clique aqui para comprar O Reino do Pum

E uma ficção para adultos

– Morte.Net – Romance impróprio para menores, de Caio Morelli, que fala de pessoas que buscam a felicidade nos encontros fortuitos da Internet.
Clique aqui para comprar Morte.Net

Se tiver qualquer dificuldade para comprar os livros pelo Pagseguro, envie e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br que eu resolvo.

A grana está curta? Momentaneamente está desempregado? Mas gostaria de ler alguns livros em PDF expostos na livraria deste blog? Mande-me um e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br que neste setembro eu os envio de presente para você.